Com um novo papel na Netflix levando-o para um nível de fama condizente com tal sobrenome, Hero Fiennes Tiffin fala com Louis Wise sobre casualmente esculpir seu próprio caminho, reinventando a fan fiction e por que ele nunca estará muito ocupado para uma namorada.

Tiffin tem uma atitude direta em ser um ator, o que é refrescante.

Nos leva ao seu primeiro emprego profissional, um filme independente que fez quando tinha apenas 10 anos. Bigga Than Ben foi um dia de trabalho, era 100 libras em dinheiro e o jovem prontamente gastou em um kit de futebol. “Foi como, eu gosto disso”, diz o jovem agora com 21 anos. “Isso é apenas uma coisa divertida a se fazer. Um dia de folga da escola e um kit do West Ham, é perfeito.”

Essa mentalidade realista ainda é muito Fiennes Tiffin, mais de uma década depois. Vestido com roupas esportivas totalmente pretas, com um sotaque londrino determinado, ele é um superstar do século 21, muito tranquilo, à espera. Quando nos encontramos, ele me surpreende com duas coisas. Em primeiro lugar ele é uma pessoa famosa que realmente se parece exatamente com suas fotos; alto, porte de modelo, como visto em campanhas para Dolce & Gabbana e Ferragamo.

Em segundo lugar, ele alegremente devora um croissant de chocolate no nosso café da manhã no Green Park, pedindo desculpas quando precisa fazer uma pausa para comer. Isso não parece uma atividade de regulação de alguém prestes a se tornar um símbolo sexual global em After, o novo romance adolescente que acabou de ser lançado na Netflix.

Uma história de virgens curiosas, garotos maus e autodescoberta no campus da faculdade. O livro inicialmente surgiu no estilo da franquia Cinquenta Tons, como uma fan fiction sobre Harry Styles. Hero, como seria de esperar, assume o papel principal de Styles – o misterioso Hardin Scott – embora o personagem tenha evoluído significativamente desde as suas origens. “Não há nenhum vínculo real com ele ou com a One Direction”, diz ele. “Você nunca saberia assistindo ao filme, mesmo que esteja profundamente enraizado em algum lugar.”

No entanto, After tem quase tantos milhões de fãs obcecados como Styles, e alavancou sua persona para um novo nível de fama. A abordagem de Fiennes Tiffin à histeria, no entanto, é ser ainda mais tranquila do que o habitual. “É bom”, ele diz. “Estou apenas aprendendo a jogar esse jogo enquanto sigo a jornada”.

Ele pode ser o filho da diretora Martha Fiennes (irmã de Ralph e Joseph) e George Tiffin (também cineasta), mas ser ator, diz ele, “não me passou pela cabeça. É definitivamente mais um amor gradual que se formou, do que de repente eu acordei um dia e pensei: ‘É isso que eu quero fazer.'”

Seu maior papel, até After, foi há uma década em seu segundo filme, quando aos 10 anos de idade ele interpretou o jovem Voldemort (também conhecido como Tom Riddle) em Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Ele ri quando fala sobre seu trabalho inicial, e o subestimo irônico é típico. “Sou relativamente discreto”, explica ele. “Eu prefiro fazer o trabalho e deixar falar por si só. Até minha mãe descobre a maioria dos meus projetos através do meu agente.” Ele também admite, possivelmente porque “tive a sorte de ter a família e as oportunidades que tive, então estou tentando fazer algum trabalho sem ajuda”. Suas conexões o ajudam muito, ele concorda. “Não vou dizer que esse não seja o caso. Sou muito grato. Só espero poder fazer jus ao que é esperado.”

Depois, então, é realmente o primeiro vislumbre adequado do que Fiennes Tiffin pode fazer. Entre outras coisas, isso o coloca para ser um símbolo sexual. “Eu não aproveito a oportunidade para simplesmente tirar todas as minhas roupas, mas se vier com o trabalho…” Ele recebeu um personal trainer por um mês antes das filmagens, mas parece ter sido bem relaxado sobre isso tudo. “Eu provavelmente poderia ter espremido em um turno das 4 da manhã, mas eu não o tenho no meu armário.”

Hero ainda vive com sua mãe em Londres, principalmente para ajudar a cuidar do cachorro da família. Ele não tem namorada no momento, mas afirma que não é por causa da desculpa do ator padrão: estar muito ocupado. “Não! Eu amo a ideia de ter uma namorada. Você pode arrumar tempo para qualquer coisa, mas eu não acho que seja o tipo de coisa que você pode procurar. Isso só acontecerá se tiver de acontecer. Eu ainda não conheci ninguém em que seja a única pessoa com quem eu quero sair.”

Para ser honesto, ele parece bem comportado. Ele diz que não bebe com muita frequência; quando se fala em filmar After em Atlanta, ele não se entusiasma com as casas de striptease da cidade, mas com o aquário, que ele visitou duas vezes. Lembre-se, ele estava em Los Angeles com o elenco do filme, que o levou para o dia 21. O que você fez? “Fiquei muito bêbado e fui a uma boate. Eu tive treinamento no dia seguinte e, felizmente, aparentemente não preciso de muito treinamento de imprensa. Eu realmente não me lembro.”

O clã Fiennes são próximos, diz ele, mas quase nunca falam sobre trabalho. Ele insiste que teve uma infância muito “normal”, sem showbiz, com a atuação raramente interferindo (ele foi para a prestigiada Escola Emmanuel em Battersea). Eu suponho que a única coisa rara e incomum seja o nome: Hero Beauregard Faulkner Fiennes Tiffin. Seu irmão mais velho é chamado de Titan, e sua irmã mais nova é chamada de Mercy. “Eu acho que meus pais usaram nomes de crianças como uma chance de demonstrar sua criatividade”, ele diz.

Tipicamente, ele se recusa a fazer grande caso sobre o assunto. Mesmo quando companheiros o seguiam na escola cantando ‘eu preciso de um herói’, ou então ‘quando um herói aparece’, “não foi tão ruim”, diz ele. “Eu costumava dizer: ‘Por que herói?’ e meu irmão dizia: ‘Por que Titã?’ Então, um par de anos depois, você percebe que é apenas um nome, e você só lida com isso e é bom para um papo.”

Para ser honesto, é muito bom como ele resolutamente se mantém, mesmo com os nomes de ambos os pais para ‘honrar’ ambos os lados (para fins comerciais, ele poderia facilmente ter sido apenas Hero Fiennes). Dito isso, ele prefere abreviar tudo.

“Uma vez eu tive problemas na escola por escrever ‘Hero FT'”, ele relembra. “Minha professora ficou tipo: ‘escreva seu sobrenome completo porque pode haver mais de um Hero na escola’. Ela rapidamente percebeu que era estupidez”, ele sorri, embora admita que provavelmente não daria seguiria os passos dos genitores e nomes incomuns. “Se eu tiver um filho, vou chama-lo de algo simples como John”, diz ele.

Eu acredito nele. Depois de uma manhã em sua companhia, isso seria uma coisa muito Hero Fiennes Tiffin de se fazer.

Tradução: Paula (Equipe Hero Fiennes-Tiffin Brasil)

Arquivado em Entrevista, Matérias, Notícias, Revistas