Sejam bem-vindos ao Hero Fiennes Tiffin Brasil, a sua maior e mais completa fonte sobre o ator. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos.

Às vezes, eventos inesperados ajudam a impulsionar a carreira de um jovem ator. Pegue, por exemplo, Hero Fiennes Tiffin, que uma vez interpretou Tom Riddle (a versão mais jovem do antagonista Lord Voldemort) em Harry Potter e o Enigma do Príncipe e mais tarde, ao entrar na idade adulta, se tornou um protagonista/galã no mundo sexy, dramático e romântico contemporâneo After, baseado no romance jovem adulto popular. O ator e modelo tinha acabado de promover o filme e estava se preparando para o Met Gala, quando soube que havia sido escalado para The Silencing.

Interpretar um suspeito de assassinato com problemas emocionais era exatamente o que Fiennes Tiffin esperava adicionar à sua lista crescente de créditos. As três semanas de filmagem no Canadá se encaixaram perfeitamente em sua programação, antes que ele precisasse retornar ao set para filmar a sequência After.

Aos 22 anos, Fiennes Tiffin já é um veterano da indústria do cinema. Antes de interpretar o jovem bruxo Riddle em 2009, ele fez sua estreia na comédia britânica de 2008 Bigga Than Ben. Nascido Hero Beauregard Faulkner Fiennes Tiffin, ele vem de uma renomada família de atores e cineastas. Sua mãe é a diretora premiada Martha Fiennes (Onegin) e seu pai é o diretor de fotografia George Tiffin. Seus tios são os atores Ralph Fiennes (que interpretou Lord Voldemort ao longo da série Harry Potter) e Joseph Fiennes (Shakespeare Apaixonado). Fiennes Tiffin não recebeu apenas o papel de Tom Riddle por causa de sua conexão familiar, no entanto. Ele competiu contra centenas de outros meninos para ganhar o papel. O diretor David Yates disse que o jovem foi escolhido porque conseguiu “o jeito, o humor sombrio e o espírito estranho do personagem.”

Essa capacidade de mergulhar profundamente nos recessos emocionais sombrios dos personagens veio a calhar com seu papel de Brooks no filme de suspense de Robin Pront, The Silencing, que também é estrelado por Nicolaj Coster-Waldau de Game of Thrones e Annabelle Wallis do famoso Peaky Blinders.

Interpretando Brooks, Fiennes Tiffin é um jovem adulto problemático que cresceu em um lar adotivo fisicamente abusivo. Ele se viciou em opioides e já há algum tempo tem problemas com a lei. Quando o corpo de uma jovem é descoberto ao longo das margens arborizadas de um rio, Brooks se torna um suspeito. Até que mesmo sua irmã, a xerife local nesta pequena e moribunda cidade localizada na fronteira americano-canadense, comece a suspeitar que ele pode ser o culpado. Enquanto isso, Rayburn (Coster-Waldau), um caçador aposentado, assiste uma cena assustadora – um caçador em um terno ghillie (um disfarce de gravetos) está rastreando outra jovem como presa em sua propriedade de santuário de animais, então ele sai para investigar. A Xerife Gustafson (Wallis) investiga profundamente a caça ao assassino e enfrenta o dilema moral do que fazer se descobrir que seu irmão é o culpado.

A Saban Films lançará The Silencing nos cinemas, bem como em VOD (Video on demand) e em plataformas digitais no dia 14 de agosto.

De sua casa em Londres, Fiennes Tiffin falou por telefone sobre interpretar um personagem problemático em The Silencing e reprisar seu papel de Hardin Scott em After We Collided (After Depois da Verdade), o próximo capítulo do casal e seu relacionamento tumultuoso, que deve ser lançado por VOD em outubro.

O que te atraiu para você ao interpretar esse personagem, Brooks, em The Silencing?
Foi tudo muito rápido em termos daquela oferta de trabalho. Eu estava na verdade promovendo After, e então eu deveria ir para casa por algumas semanas, e depois ir para o Met Gala, mas então recebi a oferta para interpretar Brooks, que é um papel tão bom que se encaixa quase perfeitamente dentro disso período de três semanas após o Met Gala e para a próxima sequência de After.

O papel em si era algo que eu queria fazer porque o achei atraente, mas também porque ajudou a equilibrar com alguns dos papéis que fiz anteriormente. Ir de After para algo tão diferente como isso e então voltar para o segundo filme de After foi algo que definitivamente me atraiu. Parecia algo que era para ser, devido o tempo do cronograma e o quanto eles estavam interessados em mim, e o quanto eu estava atraído pelo personagem. Muito raramente funciona tão perfeitamente.

Brooks é muito perturbado e por razões muito compreensíveis: ele sofreu abuso de seus pais adotivos e tem problemas de abandono com sua irmã mais velha, que recentemente voltou à sua vida. Como você entrou na mentalidade desse personagem?
Eu fiz uma boa pesquisa sobre os efeitos de traumas de infância semelhantes sobre as pessoas, os efeitos dos medicamentos prescritos e do problema com opioides. É um caso menor na Inglaterra, então eu tive que me educar um pouco sobre isso na América. Acho que a localização foi apropriada para as cenas em que estávamos ambientalmente e no que diz respeito aos personagens, então metade do trabalho foi feito para mim (como ator) – do jeito que era tão imersivo, todo o ambiente era, ao invés de estar em um estúdio, onde é completamente diferente por dentro do que é por fora. Então, eu senti como se estivéssemos vivendo no ambiente em que tudo foi definido.

Seu diretor, Robin Pront, disse que queria que o público sentisse aquela sensação de frio e que precisava de “um abraço caloroso”.
Sim, você pode ver logo no início que ele tinha esse estilo direto ao ponto. Eu sei exatamente o que ele quer dizer. Com o visual e a trilha sonora, você sabe em 10 segundos de filme qual é o seu clima. Ele fez um ótimo trabalho em definir esse tom.

Como foi trabalhar com seus colegas de elenco Nicolaj Coster-Waldau e Annabelle Wallis?
Passei muito mais tempo com Annabelle do que com Nicolaj. Ela interpreta minha irmã mais velha e me acolheu muito. Eu me senti muito bem cuidado. Com Nicolaj, nossa grande cena juntos infelizmente foi cortada, então eu não tive muito tempo para aprender e trabalhar com ele, mas o tempo que eu fiz, eu aproveitei. Eu só queria ter tido mais tempo com ele.

Você gravou After We Collided depois de The Silencing. Estava tudo encerrado antes do confinamento da pandemia?
Felizmente, terminamos um pouco antes de tudo acontecer. Encerramos bem a tempo. Ao pensar em como o coronavírus afetou o lançamento de filmes, tive muita sorte de que todas as coisas em que estava envolvido já haviam sido feitas antes (do confinamento).

Você voltou para casa na Inglaterra durante o confinamento?
Sim, estive em casa em Londres, não fazendo muito. Fazendo as coisas de sempre e depois abandonar metade delas. Você sabe como isso vai. Nas primeiras semanas, toda a minha roupa estava lavada quando precisava e a grama estava cortada, eu fazia minhas corridas. Então, algumas semanas depois, a roupa começou a se acumular.

Você tem permissão para sair por Londres agora, onde você teve uma onda de calor e todos estavam ao ar livre nos parques.
Está super quente hoje. Isso meio que vem e vai. Estou aqui há 22 anos e não há consistência no clima de Londres. Você meio que acorda e olha pela janela para ver o que acontece. As estações do ano não significam nada aqui, eu não acho. Ouvi dizer que estava muito nublado em LA pelos meus amigos de lá.

Você está lendo roteiros? Há alguma luz no final do túnel indicando quando você pode voltar ao trabalho?
Sim. Em termos de projetos, os roteiros ainda estão circulando e os telefonemas ainda são feitos. Não está rolando nada, mas se tudo correr bem, talvez no início do próximo ano, mas nada que eu possa dizer ainda.

Você tem After We Collided saindo em VOD no dia 2 de outubro. Interpretar Hardin Scott no longa fez de você um galã entre seus fãs. Como é ser admirado por tantos fãs?
Me sinto obviamente honrado e muito grato a eles. Grande parte do crédito deve ir para Anna Todd, a autora dos livros, que criou um personagem tão bom. Todos os fãs já são tão atraídos por Hardin. Eu só tinha que dizer as palavras no papel. Os fãs agora me apoiam com a mesma abordagem dos personagens sobre os quais leram. Estou simplesmente feliz por ter dado vida a esse personagem.

Você vai promover o lançamento desse filme também?
Sim, eu realmente tenho feito isso, ontem e hoje, enquanto conversamos. Apenas me preparando para mais trabalho quando o trabalho chegar.

Existe um determinado papel ou tipo de filme que você gostaria de participar?
Eu não tenho um papel dos sonhos, por si só, mas se você me colocar no local, suponho que um papel aleatório que eu adoraria fazer é um tipo de filme de Indiana Jones ou James Bond. Ação, mas não apenas ação pura. Então, algo assim em algum momento seria definitivamente algo que eu adoraria fazer.

Original | Tradução e adaptação: Equipes Hero Fiennes Tiffin Brasil e After Brasil
Hero Beauregard Faulkner Fiennes Tiffin (Londres, 6 de novembro de 1997) é um ator e modelo britânico, conhecido por interpretar o jovem Tom Riddle em Harry Potter e o Enigma do Príncipe em 2009. Hero nasceu em Londres, Inglaterra, filho do roteirista George Tiffin e da diretora cinematográfica Martha Fiennes. Tiffin tem um irmão mais velho chamado Titan e uma irmã caçula chamada Mercy.
Saiba mais
Status do site

Nome: Hero Fiennes-Tiffin Brasil
No ar Desde: 06/11/2018
Equipe:  Conheça nossa equipe.
Visitas: |
Host: Flaunt Network | DMCA | Privacy Policy
O Hero Fiennes-Tiffin Brasil não tem qualquer ligação com o Hero, familiares, diretores e seu agente. Todo o material postado aqui é de propriedade de seus respectivos autores. Pedimos que se usarem algo da nossa autoria, como traduções, fotos ou qualquer outra coisa, por favor não esqueçam de creditar. Se você é dono de algum material que foi postado aqui e deseja que seja removido, entre em contato antes de tomar qualquer ação legal.

APARIÇÕES E EVENTOS ENSAIOS FOTOGRÁFICOS E CAMPANHAS FLAGRAS FILMES SÉRIES SCANS VARIADAS