Sejam bem-vindos ao Hero Fiennes Tiffin Brasil, a sua maior e mais completa fonte sobre o ator. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos.

Showing all posts for Destaque


O ator interpreta Hardin Scott em “After: Depois do Desencontro”, que estreia em 3 de setembro. Ele nos conta sobre sua perspectiva sobre saúde mental e Instagram, a relação que tem com seu personagem e algumas anedotas das filmagens.

[…] Falamos com Hero, ou melhor, Hardin Scott em ‘After: Depois do Desencontro’ sobre este capítulo final. Ele nos conta sua perspectiva sobre saúde mental e Instagram, sua relação com seu personagem e algumas anedotas importantes da gravação.

O que você leva desse terceiro filme?

É um prazer estar de volta e uma honra poder trazer esse personagem à vida mais uma vez. Tenho que agradecer aos fãs por nos apoiarem, devemos tudo a eles! Espero que o terceiro filme seja o que eles esperam. Eu amo esta última edição, espero que gostem tanto quanto nós. Estou muito animado.

Qual dos três filmes é seu favorito?

O terceiro ou o quarto. Tenho procurado melhorar a cada filme, nem sempre é tão fácil quando você faz várias partes da mesma história. Mas acho que conseguimos, acho que encontramos uma maneira de fazer melhor a cada vez.

Como você se preparou para interpretar o papel de Hardin, um garoto tóxico e, a princípio, bastante sombrio?

É uma pergunta muito boa que, além disso, também me fiz. Eu aprendi que você não pode julgar seu personagem, se você está interpretando ele, você tem que encontrar uma maneira de, pelo menos, emocionalmente ou logicamente, justificar porque este é o caso, e isso é um grande desafio. Além disso, foi mais difícil interpretá-lo antes que o público pudesse ver no segundo filme o que o torna daquele jeito e por que os demônios de sua infância o levaram a se comportar assim. Foi difícil encontrar uma forma de justificar sua atitude, mas é muito importante fazê-lo.

O que o mantém com os pés no chão?

Devo isso aos meus amigos, às pessoas ao meu redor e ao lugar onde cresci, porque lá parece que nada mudou. Eles não me tratam de maneira diferente e essa é a principal razão pela qual posso permanecer com os pés no chão.

Hardin é um menino muito tóxico, tem muitos problemas psicológicos…

Sim, a verdade é que ele é muito inteligente, mas tem muito o que lidar. É muito difícil para ele fazer isso. Conheço pessoas que estão lutando na mesma situação e é muito difícil. O que ele tem é esperança e força de vontade, e quem mais o ajuda é Tessa. Ele tenta, você pode ver em todos os momentos que ele tenta fazer o melhor que pode, mas é muito difícil trabalhar isso considerando o seu jeito de ser.

O que você acha sobre saúde mental? Você acha que é importante dar visibilidade?

Sim, é definitivamente muito importante, concordo totalmente. A gente sabe tanto sobre tantas coisas, mas existe um vazio enorme quando o assunto é saúde mental… É bom ver as pessoas falando muito mais sobre isso, é urgente!

Agora que avançamos na saúde mental, você acha que personagens com a imagem do bad boy com problemas acabarão por se extinguir?

Mmmm eu não sei. Não acho que necessariamente vá acabar. Também não acho que seja uma coisa ruim, porque quando você explora a parte mais extrema da personalidade um do outro, você aprende como não precisa estar na vida real, e isso é através do entretenimento. Acho que é importante ter personagens com problemas, para que possamos aprender com eles.

Existe algo que você mudaria em seu personagem?

Não, não acho que mudaria nada. Se fosse na vida real, teria muito no que trabalhar. Mas com o propósito de entreter, acho que ele é perfeito. Os personagens que Anna Todd criou são incríveis, mas o que mais gosto em ir para o trabalho é poder interpretar este em particular. É um privilégio.

E o que você aprendeu com ele?

Sim, muitas coisas. Acima de tudo, a importância do autocontrole, algo que ele não tem e que acho muito importante. Tente não agir irracionalmente e emocionalmente, obviamente suas emoções influenciam as decisões, mas… você me entende. Não aja impulsivamente, mas logicamente e não tenha pressa, porque do contrário você se arrependerá. Dê um tempo, reflita sobre isso.

Você já foi um pouco Hardin na vida real?

Sim, acho que todos nós fomos. Todos se sentem identificados até certo ponto, mas eu levo o meu ao extremo. Cada vez que coloco um casaco, lembro-me dele. É como se ele perseguisse você, se tornasse parte de você e ficasse com você.

Seus tios são Ralph e Joseph Fiennes, dois grandes atores conhecidos. Que conselho eles já lhe deram quando se trata de atuar?

Você sabe o que? Eles fizeram isso brevemente e eu sei que se eu perguntasse, eles fariam mais. Nunca nos sentamos e tomamos notas, mas se alguma vez precisei de algum conselho, eles sempre estiveram lá; na verdade, perguntei a eles algumas vezes. Não muito, mas eles estão definitivamente lá se eu precisar deles.

Existe muita diferença entre o livro ‘After We Fell’ e o filme?

Sim. A verdade é que não li os livros porque sabia que seriam diferentes do roteiro. É triste, mas você não pode torná-lo exatamente igual ao original, há muitas coisas que precisam mudar. Tenho certeza que o filme tenta ficar o mais próximo possível do livro nos pontos principais, mas há outros que não funcionam da mesma forma e que precisam ser mudados e adaptados pela natureza.

Você tem 7,5 milhões de seguidores no Instagram, mas mal faz upload de fotos. Você não os usa muito? O que você acha das redes sociais?

Redes sociais são ótimas para muitas coisas, é uma plataforma ótima, muito poderosa, acho que no geral é uma coisa muito positiva. Cresci sem elas, usando-as apenas para manter contato com meus amigos ou para avisar quando estava passando a noite fora, e agora mudei para relacioná-las mais ao trabalho. Eu amo ver o apoio dos fãs. É demais para mim, às vezes me oprime.

Eu me sinto estranho postando muito e documentando minha vida quando eu prefiro ver com meus próprios olhos ao invés de uma tela. Talvez um dia eu acorde e comece a postar mais, vai em fases. Uma rede social pode te sugar com muita facilidade e, para ser honesto, estou gostando de não postar constantemente. Mas eu acho que no geral é ótima.

Você também é um modelo. Qual das duas profissões você mais gosta? Quer tentar mais alguma coisa?

Definitivamente, atuar. Sou muito grato pelos trabalhos como modelo que tive, mas acho que atuar exige mais criatividade.

Você pode revelar algo sobre seus próximos projetos?

Eu tenho um filme que terminei há um mês em Los Angeles, ‘First Love’, que estou ansioso para as pessoas assistirem e acho que será possível até o final deste ano. E outro que não tenho certeza se posso falar, mas que já terminei de gravar e que espero que saia ainda este ano. Quero estar sempre em contato com as pessoas e em busca de novos projetos.

Como você encara essa nova etapa, agora que a pandemia está muito mais avançada?

Acho que felizmente estamos voltando aos poucos à normalidade, o que é muito bom. Gosto de como era a minha vida e como está agora, mudou em alguns aspectos, mas em muitos outros continua a mesma.

Você se lembra de alguma anedota legal das gravações?

Lembro-me de uma com Jo e Chance (Perdomo). Cada vez que um de nós entrava em seu quarto, colocávamos algo em sua porta para que ele não pudesse sair. Começamos com um copo d’água, depois uma cadeira, depois um sofá… Porque estávamos no 24º andar do hotel e não podíamos sair de lá e tínhamos que nos divertir de alguma forma.

Fonte: Cosmopolitan | Tradução e Adaptação: Equipe Hero Fiennes Tiffin Brasil

01 set
2021
Postado por HFTBR

Por: Caroline Santos

Há muito tempo pensamos em como podemos ser um pouco mais úteis para o fandom, retribuir o apoio e confiança que vocês depositam na gente, e também ter uma comunidade em que possamos compartilhar nossos mesmos gostos, nesse caso, o amor e carinho que temos pelo Hero.

Pensando nisso, conversamos e decidimos criar uma coluna em nosso site chamada “Espaço do Fã”, e semanalmente apresentar a vocês uma pessoa do fandom, para que a gente possa se conhecer melhor, interagir mais e nos aproximarmos. Nossa intenção é que seja um espaço de conforto, você pode se divulgar, desabafar, mostrar sua gratidão e o que mais sentir vontade.

Dando início ao projeto, conversamos um pouco com a Lari, @perfecthessa e você pode conferir abaixo:

C: Ok Lari, pode começar falando um pouquinho sobre você?

L: Claro! Meu nome é Larissa, eu tenho 19 anos e moro em São Paulo. Eu conheço o mundinho After a bastante tempo mas só criei minha conta ano passado e me apaixonei por tudo. Incluindo um pouquinho dos meus hobbies além disso, eu sou apaixonada por música e leitura. Amo estudar sobre artistas, indústria musical e ler livros no tempo livre. 🙂

C: Como você tem passado nesse cenário de pandemia? A interação no fandom tem ajudado de alguma forma?

L: Com certeza! A pandemia virou minha vida de cabeça pra baixo totalmente, emocionalmente falando. Minha rotina mudou, comecei a fazer tudo de casa, perdi pessoas, então eu literalmente entrei para o fandom na pior fase da minha vida. After, Hero e Jo, Anna, todos foram tipo uma salvação pra mim. Conhecer todas essas pessoas maravilhosas do fandom, dividir esse sentimento com eles me ajuda todos os dias.

C: Tem alguma história específica que você gostaria de contar? Uma lembrança, um momento que te marcou durante esse tempo de fandom?

L: Tem muitasss. Mas vou citar duas coisas que são muito importantes pra mim. Quando o teaser foi lançado esse ano foi completamente incrível, foi um evento, o fandom todo se reuniu para subir tag e promover o filme. Ficamos de manhã até de noite curtindo aquele dia e lembro que todo mundo sentiu o mesmo sentimento incrível.
A outra história é que conheci duas amigas ano passado, através do fandom e criamos um grupo, desde lá não nos desgrudamos e vamos nos encontrar para assistir o filme juntas essa semana, pela primeira vez. então isso me marca muito! 🤍

C: Há algo que você tem vontade de dizer ao fandom? Um pedido, um conselho, uma observação?

L: Primeiramente eu queria agradecer todo mundo por fazer parte dessa família e quero que eles saibam que minhas melhores histórias são com eles. E se eu pudesse pedir algo, eu só pediria que pudéssemos aproveitar essas últimas eras com todo nosso coração, aproveitar nossos favs como nossos personagens preferidos pelas últimas vezes. Antes que eu me esqueça, eu só queria deixar frisado aqui que eu sou extremamente grata pelo Hero ter entrado na minha vida. Ele é umas melhores pessoas que eu já conheci na vida, mesmo sem conhecer. Mesmo sem saber, ele já me salvou de muita coisa e eu o amo com todo meu coração. Protejo meu menino com unhas e dentes. 🚀❤️ Enfim, muito obrigada por ter me escolhido pra essa entrevista, eu amei muito fazer parte disso!!! 🥺🤍

C: Eu que agradeço. Nem consigo dizer o quanto importa para a gente ❤

A estrela do filme “After ” Hero Fiennes-Tiffin: “Minha mãe adora música russa – Tchaikovsky e Rachmaninov, às vezes até interpreta ela mesma”

O ator principal e sua colega da franquia, Josephine Langford, deram uma entrevista à Vokrug TV na vésperas do lançamento do terceiro filme da franquia.

Na primavera de 2019, foi lançada a primeira parte da franquia de filmes “After” baseada no best-seller de Anna Todd. Uma aluna gentil em todos os aspectos, Tessa (Josephine Langford) se apaixonou pelo charmoso “badboy” Hardin (Hero Fiennes Tiffin, sobrinho do ator e diretor Ralph Fiennes). Ao longo de dois filmes, eles às vezes se enlaçavam em abraços apaixonados, depois se xingavam e prometiam nunca mais se ver.

Em 2 de setembro de 2021, os telespectadores russos poderão ver a continuação da história de Hardin e Tessa no melodrama After: Depois do Desencontro”. Na véspera da estreia, os intérpretes dos papéis principais responderam às perguntas do correspondente da Vokrug TV.

VT: No terceiro filme da franquia After, o diretor mudou novamente, agora o posto é assumido por Castille Landon. Como foi trabalhar com ela?

JL: Eu realmente gostei de trabalhar com Castille. Sim, nosso diretor mudava todas as vezes, e Castille trouxe sua visão para o terceiro filme – atenção aos detalhes e determinação. Ela sabe escolher o take certo, pode ser muito criativa.

HFT: Oh, Castille é incrível. Ela é super talentosa e muito trabalhadora, ela se levanta antes de todo mundo, vai para a cama mais tarde do que todo mundo, constantemente tenta de alguma forma finalizar o roteiro, mesmo em seu tempo livre. Acho que esse nível de preparação em que tudo é cuidadosamente planejado nos liberta em grande parte como atores. Isso permite que você aproveite o processo, expresse-se totalmente, não pense em nada além de nossos heróis e atuação.

VT: Ficou mais fácil para você atuar em cenas explícitas, que são muitas no filme “After: Depois do Desencontro” dirigido por uma diretora?

JL: Acho que não tenho muita experiência em trabalhar com cineastas para dizer que me sinto mais confortável com ela. Mas Castill fez um excelente trabalho, ela é muito cuidadosa com os sentimentos dos atores. Acho que é porque ela mesma era atriz.

HFT: Sim, acho que não se trata apenas de quem está na cadeira do diretor – um homem ou uma mulher. Também depende apenas da pessoa. Embora, é claro, haja uma diferença de abordagem. Mas o mais importante para mim era o fato de que agora havia um coordenador de cena de sexo no set. Olhando para trás, entendo que tal pessoa é simplesmente necessária em nosso trabalho. Quando você está filmando um filme com muitas acrobacias perigosos, há também um coordenador de acrobacias que garante que tudo esteja em ordem, confortável e seguro. Portanto, se houver três ou quatro episódios explícitos em um filme, faz sentido que você precise de um coordenador de cenas de sexo. Acho que sua presença afetou mais do que o gênero do diretor.

VT: No terceiro filme, muitos dos atores que interpretaram personagens coadjuvantes foram forçados a deixar o projeto por vários motivos. Há alguém de quem você mais sentirá falta?

JL: Vou sentir falta de todos. Temos um ótimo elenco! Claro, é triste que alguém desistiu e alguém foi substituído, mas tivemos muita sorte: todos os recém-chegados se juntaram perfeitamente à equipe e se acostumaram com o papel perfeitamente.

HFT: Sim, é difícil escolher alguém em particular, eu me dava bem com todos. Acho que vou sentir falta dos Dylans – Sprouse e Arnold. Sim, vou sentir mais falta de Dylan Arnold. Ele estava conosco desde o início, interpretando Noah, o primeiro namorado de Tessa, e eu me pergunto se seu personagem poderia, de alguma forma, voltar à história.

VT: E com Trevor, interpretado por Dylan Sprouse, Hardin teve um conflito no último filme. Se você tivesse que lutar com ele na vida real, quem venceria?

HFT: Boa pergunta. Dylan é um cara durão, então acho que isso seria uma luta. Ele não é tão grande, mas você pode ver que ele vai para a academia. Provavelmente, nossas chances são iguais, mas aposto em mim mesmo. Acho que poderia ganhar, mas “na altura”.

VT: O filme “After: Depois da Verdade” foi, em muitos aspectos, a história de Hardin: aprendemos mais sobre seu passado, começamos a entender melhor por que ele se comporta dessa maneira. E na terceira parte, quem recebe mais atenção?

JL: Não acho que o segundo filme foi a história de Hardin. Era sobre os dois personagens, sobre seu relacionamento em primeiro lugar.

HFT: Mas o primeiro livro foi escrito inteiramente em nome de Tessa, e o segundo tem capítulos em nome de Hardin, então acho que é um ponto justo. Tentamos refletir isso nos filmes, então acho que houve um ligeiro viés na primeira parte em direção a Tessa, na segunda em direção a Hardin, e na terceira conseguimos o equilíbrio perfeito, e no quarto filme eles também serão igualmente representado.

JL: Sim, não faz sentido contar os minutos do tempo na tela, “After: Depois do Desencontro” é a história de Hardin e Tessa, um filme sobre como eles influenciam um ao outro.

VT: No filme “After: Depois do Desencontro” seus personagens têm uma escolha: Hardin planeja partir para o Reino Unido e levar Tessa com ele, enquanto ela quer ficar para trabalhar nos EUA. O que você escolheria: Grã-Bretanha ou Estados Unidos?

HFT: Bem, é elementar, sempre escolherei apenas o Reino Unido. Eu gosto da América, amo Nova York, amo Los Angeles. Eu amo sair por aí, mas meu coração pertence a Londres – e sempre pertencerá.

JL: E eu estive no Reino Unido apenas cerca de quatro dias, e isso foi há dez anos, então é difícil para mim julgar este país. Eu sou da Austrália, agora trabalho nos EUA, mas no futuro poderia me mudar para a Grã-Bretanha, por que não?

VT: Mas para Tessa, essa escolha também é entre o emprego dos sonhos e o amor de sua vida. O que você escolheria em tal situação?

JL: Meu instinto me diz que eu escolheria um trabalho. Mas eu nunca tive nessa situação antes, então não posso prever que decisão tomaria no momento.

VT: Tem-se a impressão de que Hardin faz uma nova tatuagem toda vez que algo desagradável acontece com ele. No terceiro filme, muitos momentos dramáticos o aguardam. O que Hardin fará quando ficar sem espaço na pele?

HFT: Oh sim, essas tatuagens demoram muito tempo também! Às vezes você tem que sentar por várias horas enquanto os maquiadores terminam seu trabalho. Então eu não me importaria se ele decidisse misturar algumas tatuagens, embora fiquem lindas. Mas ele ainda tem lugar, Hardin não tem uma única tatuagem abaixo da cintura. Todas as pernas podem ser marteladas, vai demorar mais cinco a dez anos, eu acho.

VT: Qual das tatuagens dele você mais gosta?

HFT: Eu gosto da cobra, ela está enfiada nas costas da mão direita. Esta é uma das poucas tatuagens dele que tem cor.

VT: Josephine, com quem é mais difícil para Tessa encontrar uma linguagem comum: com Hardin ou com o pai?

JL: Pergunta difícil. Tessa não tinha visto seu pai por cerca de dez anos. Ela era muito jovem quando eles pararam de se comunicar. Mesmo assim, é mais difícil para ela encontrar uma linguagem comum com Hardin, apesar de se amarem. Sabe quando você ama uma pessoa, mas não consegue se dar bem com ela?

VT: Hero, seu nome significa herói. Seus pais elevaram o nível ao chamá-lo assim. Você atende às expectativas deles? Você pode se chamar de herói?

HFT: Oh não, definitivamente não sou um herói. Mas eles colocaram uma expectativa alta, isso é um fato. Mas ajuda a iniciar uma conversa. Basta-me simplesmente apresentar-me – e nos próximos minutos falaremos apenas sobre o meu nome. Mas não me considero um herói. No entanto, se você quiser me considerar um herói, não me importo.

VT: O herói precisa de uma façanha. O que você acha que poderia realizar?

HFT: Eu nem sei. Se eu salvar a vida de alguém, isso contará? Por exemplo, um cachorro que quase foi atropelado por um carro. Lembra da cena de abertura de Hitch: Conselheiro Amoroso, onde Will Smith preparou as coisas para fazer o outro cara parecer um herói? Sim, exatamente, eu teria salvado o cachorrinho. Todo mundo adora cachorros.

VT: Josephine, no trailer de After: Capítulo 2 Tessa diz que ultimamente ela aprendeu muito bem o que é dor. Algum momento doloroso aconteceu em sua vida?

JL: Todo mundo teve esses momentos, não é? Cada pessoa pode se lembrar de algo diferente quando se trata de dor.

VT: Você usou essa experiência enquanto trabalhava no papel?

JL: Provavelmente não. A menos que inconscientemente. Nem sempre entendo de onde vem esse ou aquele sentimento quando estou na frente das câmeras. Às vezes, é apenas atuação. Afinal, quando você interpreta um serial killer, espero que você não precise realmente matar alguém para entrar no papel. Você acabou de entrar, esse é o seu trabalho. Mas às vezes recorro à minha própria experiência. No caso de Tessa, e na maioria dos papéis, ambos são verdadeiros.

VT: Hero, um de seus primeiros filmes foi o jovem Tom Riddle em Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Você gostaria de interpretar alguém em Animais Fantásticos?

HFT: Sinceramente, não os assisti. Mas, claro, eu gostaria de jogar. Não posso dizer quem exatamente, mas isso seria ótimo.

VT: Alguns consideram a relação entre Hardin e Tessa tóxica, outros têm certeza de que o amor verdadeiro é assim. O que você acha?

JL: Acho que o amor é diferente para cada pessoa. Mas Tessa e Hardin têm um relacionamento doentio, essa é a história toda. Esses não são relacionamentos pelos quais se esforçar, mas você pode aprender com os erros de nossos personagens.

VT: Por que as meninas cometem tais erros? Por que eles se apaixonam pelos “bandidos” às vezes?

JL : Não tenho resposta para essa pergunta. Mas nem todo mundo se apaixona por isso. Acho que é tudo uma questão de autoconfiança. Algumas garotas gostam dos bandidos, seja lá o que isso signifique, não porque façam algo ruim, mas porque são confiantes. Mas esta é apenas a minha opinião.

VT: Hero, no ano passado perguntei se você escuta música russa. Você perguntou alguns nomes, mas não havia tempo suficiente para isso. Talvez desde então você mesmo tenha conseguido ouvir alguém?

HFT: Não. Mas, você sabe, minha mãe (diretora Martha Fiennes. – Ed.) Ama música russa antiga – Tchaikovsky, Rachmaninoff. Às vezes, ela até interpreta alguma coisa ela mesma. Talvez você deva pedir um conselho a ela.

31 ago
2021
Postado por HFTBR

Vamos fazer um breve resumo das principais coisas que aconteceram ao Hero esse mês?

No dia 11 desse mês, uma fã holandesa postou foto de uma entrevista de Hero para a Cosmopolitan Holanda, a qual traduzimos e postamos aqui. Nessa entrevista Hero falou um pouco sobre After: Depois do Desencontro, e também sobre coisas pessoais, como seu filme favorito e uma história engraçada sobre seu primeiro encontro.

VEJA: Hero Fiennes Tiffin para Cosmopolitan Holandesa

No dia 15 algumas fãs assistiram ao jogo de futebol do clube de seus amigos Mboys FC. Após o jogo, Hero falou com elas e tirou fotos, que vocês podem conferir em nossa galeria clicando aqui.

Na quinta-feira, dia 19, saiu a notícia da parceria entre Hero Fiennes e a plataforma Fanmio, onde os fãs teriam a oportunidade de conversar com ele virtualmente, e, dependendo do pacote comprado, receberem também uma camisa e um autógrafo. Parte do dinheiro arrecadado com os encontros será doado para duas instituições.

VEJA: Tudo o que você precisa saber sobre a parceria de Hero com o Fanmio

E teve Brasil no Fanmio sim!! Uma fã brasileira conversou com o Hero e perguntou qual era a melhor memória que ele tinha daqui, ele respondeu: “Quando desci do avião. Tinham tantos fãs esperando pela gente, eu não tinha percebido o quão After era uma grande coisa no Brasil até pousarmos. Então conhecer os fãs foi a melhor coisa para mim.”

A fã também pediu para ele mandar um recadinho para o Brasil, e ele prontamente atendeu: “Oi, é o Hero aqui, mandando meus abraços e beijos para vocês aí no Brasil, obrigado pelo apoio de vocês e mal posso esperar para vocês verem o novo filme de After, eu acho que vocês vão amar”. Se o Brasil não tem vídeo de divulgação oficial, a gente mesmo cria, né?

Clique aqui para ver os vídeos.

Além disso, ele mencionou o Brasil uma outra vez, ao ser perguntado se ele pudesse estar em qualquer lugar do mundo, onde estaria:

Ele faz a publi dele. No dia 27, Hero apareceu no Instagram Stories do After Movie para divulgar a música “After Our Dawn”, da Taylor Conrod, faixa oficial para o filme. Ele até falou o famoso “arrasta pra cima”.

E voltando ao tópico “After: Depois do Desencontro”, nesse fim de mês entramos na semana de estreia do filme em uma boa quantidade de países, consequentemente tivemos vídeos de Hero e Josephine Langford divulgando e incentivando as pessoas a irem assistir o filme nos cinemas, tivemos Sneak Peeks divulgados pelo After Movie, que você pode encontrar legendados em nossas redes sociais, e tivemos MUITAS entrevistas, e muitas ainda estão por vir.

Então, por fim, segue uma lista das entrevistas que saíram nesse meio tempo.

Cosmopolitan Holanda — Tradução: HFTBR

Woman Espanha — Tradução: HFTBR

La Vanguardia — Tradução: HFTBR

FRIDA Suécia — Tradução: HFTBR

Clutch Ucrânia — Tradução: After Brasil

Cinépolis México — Legenda e Tradução: HFTBR

E-cartelera — Legenda e Tradução: HFTBR

After Slovakia — Legenda e Tradução: HFTBR

CAPRICHO — Legenda e Tradução: CAPRICHO

Categorias: Destaque, Notícias

Em dezembro de 2018, Hero foi anunciado pela revista Variety como parte do elenco do filme Freedom’s Path, onde interpretaria William, um dos personagens principais do drama.

Veja: FREEDOM’S PATH: Hero Fiennes-Tiffin confirmado em mais um projeto cinematográfico

Hero comentou algumas vezes sobre o filme, sobre as pesquisas que estava fazendo pelo seu personagem e que estava animado. A última vez que o mencionou foi em março de 2019 para a Interview Magazine: “O próximo filme que estou participando é sobre a Guerra Civil Americana. É uma coisa sobre a qual não aprendemos nada na Inglaterra, então eu tenho feito inúmeras aulas de história e pesquisas.”

Veja: Hero Fiennes-Tiffin, nosso ViewGuy de março, ama jogar fortnite e pesquisar sobre a Guerra Civil (é para um filme) — Interview Magazine

Porém em outubro de 2019, a DEADLINE divulgou a notícia que novos atores entraram para o elenco, incluindo Gerran Howell como William, previamente divulgado como o personagem que seria interpretado por Hero.

Embora nenhum esclarecimento oficial tenha sido feito sobre a saída de Hero do elenco, acreditamos que ele teve que sair por incompatibilidade de agenda. Nesse meio tempo, Hero assinou o contrato para gravar as sequências da franquia After, e eventualmente as gravações de After We Fell e After Ever Happy coincidiram com o período de gravação de Freedom’s Path. Reafirmo que essa é nossa suposição com base nas informações divulgadas.

Segundo o site 5newsonline, as gravações Freedom’s Path foram finalizadas em novembro de 2020 e o filme tem previsão de ser lançado este ano, mas ainda sem data. Seria muito interessante ver este lado do Hero como ator, mas não vai ser dessa vez. Desejamos sucesso para o elenco e produção.

Categorias: Destaque, Notícias
Por Ameena Meer

Antes de entrevistar Hero Fiennes Tiffin, o protagonista e modelo do momento, para o TINGS, tive uma visão dele. Sim, parece que todo mundo tem hoje em dia. Não o abdômen, os sedutores olhos verdes ou os lábios entreabertos. Não o famoso galã do Instagram que obteve 2 milhões de “curtidas” em sua última postagem e 5,4 milhões de seguidores (e 87 postagens no total).

Eu sou intuitiva. Eu leio campos de energia. Hero é um garoto brilhante. Sua energia é fresca, aberta e otimista. Enquanto ele está apenas se acomodando em casa novamente, há aviões voando dentro e fora de seu campo, aviões a hélice antigos e novos. Atuar é divertido para ele, mas ele ainda tem muitos lugares para explorar e este não é o seu único caminho. Seu cachorro Diesel apareceu claramente como seu animal de estimação, seu fundamento e firmeza durante sua infância.

Além disso – DOIS é seu número mágico. After We Collided, o segundo filme da série de romance viciante After, está prestes a ser lançado mundialmente com Hero como Hardin Scott, o bad boy de Tessa Young. Está quase predestinado a ser um sucesso.

Dada a conexão de Hero com o número 2 – não é surpresa. Ele tem 22 anos e não é estranho a experiências sincrônicas. Quando sua mãe estava grávida dele, uma vidente disse que ela teria um segundo filho e que ele seria ator. Sua mãe pensou que a médium estava confundindo seu bebê com seu irmão. Mas ela sempre se perguntou…

Quando adolescente e trabalhando em uma churrascaria, ele gastou suas economias ($2.000) em uma motocicleta. Menos de uma semana depois, foi roubada na frente de sua casa. Ele tirou duas semanas de folga da escola para passear com seu cachorro perguntando a todos e a qualquer um. Dois anos depois, a polícia ligou. Sua moto havia sido envolvida em um assalto e encontraram-na . Ele a recuperou.

Observe este rosto. Hero, apropriadamente nomeado, irá surpreendê-lo.

Ameena Meer: Então, vamos começar só porque … Bem, só para me apresentar, desculpe. Sou jornalista há anos e acabei trabalhando tanto na Colúmbia Britânica quanto na indústria da moda. Eu era redatora e diretora de criação de um monte de marcas diferentes, incluindo Calvin Klein, que foi como conheci o pessoal da moda que acabou me pedindo para fazer isso. Agora trabalho como vidente e médium e moro em LA.

Hero Fiennes Tiffin: Incrível.

AM: Minha vida é um pouco diferente.

HFT: Eu sei, isso é incrível. Sim.

AM: Sim, é muito estranho. É um salto estranho.

HFT: É sempre algo que eu acho que, por algum motivo, todos nós fomos criados para pensar que você deveria ir verticalmente em sua carreira. Sempre admirei as pessoas que vão horizontalmente e fazem um monte de coisas diferentes, em oposição à mesma coisa durante toda a vida. Definitivamente, quero fazer um monte de coisas, em vez de apenas fazer uma carreira o tempo todo.

AM: Sim, eu sinto que … Tive uma visão de você antes de começarmos a trabalhar, porque pensei, ah, vou apenas explorar seu campo e ver o que vi, porque sei que [seu projeto] After We Collided realmente a coisa principal sobre a qual estamos falando. Então, vamos começar com isso, já que pensei que poderíamos ter uma parte da entrevista onde eu faço perguntas, então você pode me fazer perguntas.

HFT: Eu amo isso. Sim, vamos fazer assim

AM: Ok, certo. O que você gostaria que as pessoas aprendessem desse filme?

HFT: Para ser totalmente honesto, ainda me vejo como um novato, novo no jogo e novo em tudo. Eu gosto de dar um passo de cada vez agora. Para ser sincero, eu quero que as pessoas simplesmente curtam o filme. Acho que se as pessoas gostam do filme e contam aos amigos que também gostam, esse é o principal critério de sucesso para mim. Qualquer coisa além disso, pessoas aprendendo com o filme e recebendo conselhos dele, ou lições de vida dele, ou tendo isso os alimentando de alguma outra forma, todo esse tipo de coisa é um bônus.

Acho que inicialmente meu principal desejo de como o filme chega às pessoas é simplesmente entreter. Qualquer coisa além disso é um bônus.

AM: Foi muito diferente trabalhar com um diretor depois de trabalhar com um diretora?

HFT: Para ser honesto, não, nem tanto. Eu acho que as pessoas são tão diferentes. Você poderia ter um diretor homem e depois outro diretor em um filme que podem ser tão diferentes. Eu realmente não vejo da forma ‘a mulher é assim e o homem é assado’. Eles definitivamente têm estilos realmente diferentes, mas eu não acho que já trabalhei o suficiente com homens e mulheres para fazer uma distinção sobre isso.

Eu não acho que o gênero fez uma grande diferença. Toda a série apóia a narrativa feminina. E eu acho que espero que tenhamos conseguido continuar com isso tendo Roger como diretor. Sim, em resumo, não acho que haja uma grande diferença, e acho que temos tantas mulheres incríveis a bordo na produção e na escrita. Ainda temos vozes femininas muito fortes nele, apesar de ter um diretor masculino desta vez.

AM: Certo, isso é interessante. Eu estava me perguntando se, tendo uma diretora, a perspectiva mudaria um pouco. Quero dizer, obviamente, um bom diretor é um bom diretor, e isso vai trazer profundidade de personagem idealmente, não importa o gênero que eles sejam. É um pensamento interessante ver se isso muda a história ou a perspectiva da história, ou se parece que é mais … No primeiro e no seguinte, é mais a perspectiva de uma mulher ou de uma garota?

HFT: Para ser sincero, acho que o primeiro é mais da perspectiva de Tessa, então faz mais sentido ter uma diretora para esse. Eu acho que muitos dos fundamentos daquela narrativa sendo tão importante foram estabelecidos desde a primeira e continuaram na segunda, independentemente de quem iria dirigir. É interessante, mas gosto de pensar, e acredito, que conseguimos manter isso apesar de ter um diretor.

AM: Qual é a coisa mais legal que alguém já fez por você?

HFT: Em termos de relacionamento, a coisa mais legal?

AM: Sim, o que é algo que realmente ficou com você, mesmo que não tenha funcionado como um relacionamento ou algo assim, o que é mais legal?

HFT: Ainda tenho que pensar em uma coisa específica. Acho que apenas carinho geral para com as pessoas quando você não precisa pedir para ser cuidado, apenas pessoas vendo se você está bem e mostrando um cuidado genuíno com o seu bem-estar ao invés de desfrutar de sua companhia para o benefício delas, acho que diz muito.

AM: Certo. E quando você está perto de mulheres, se você fosse inventar uma história em sua mente, há algo que alguém poderia fazer para que você se apaixonasse por elas?

HFT: Acho que… desculpe por uma resposta tão chata, mas acho que minha resposta seria não, não há algo que alguém pudesse fazer. Acho que é o acúmulo de coisas, personalidade e como vocês se dão bem. Eu acho que é apenas, novamente, desculpe ser chato, mas acho que não é tão simples e requer uma infinidade de coisas.

Todo mundo pode ser uma pessoa ideal por um dia ou alguns dias, ou uma semana, mas acho que com o tempo, você meio que tem que provar sua consistência em se comportar de uma certa maneira. Eu não acho que haja um plano para mim pessoalmente, ou para as pessoas em geral. Eu acho que há uma infinidade de coisas que eu acho que você meio que percebe quando está envolvido em tudo que eles fizeram. Não, desculpe, não pude dizer nada.

AM: Está tudo bem. O que você mais valoriza em uma amizade?

HFT: Meu instinto quer dizer lealdade, e acho que diria lealdade, mas acho que você pode ser um idiota completo e ainda assim ser leal. Não, eu acho que lealdade. Tenho a sorte de ter tantos amigos que voltaram tanto ao longo dos anos. Há apenas uma espécie de sensação de que se somos amigos há tanto tempo, e se discutimos ou não nos vemos há anos, é um tipo de coisa atemporal … Sim, eu diria lealdade.

AM: Estávamos falando sobre mudar horizontalmente para uma carreira. Há mais alguma coisa que você já sonhou em fazer?

HFT: Eu não trabalhei com moda. Eu adoraria ser criativo na moda, porque todo o meu trabalho que fiz até agora foi uma espécie de modelo para outras marcas, e eu adoraria ter algum tipo de contribuição criativa nisso, seja fazendo roupas. Eu amo joias também. Eu adoraria projetar algumas joias em algum momento. Eu sei que adoraria dirigir também, mas acho que todas essas coisas, como modelagem, estou aprendendo sobre o aspecto criativo disso, e quando estou atuando estou aprendendo sobre ser um diretor e o que isso exige .

Muito disso é sobre eu aprender e absorver tudo primeiro, então, eventualmente, espero que eu consiga superá-los. Eu acho que agora é um aprendizado obrigatório, mas todas essas coisas: criativamente na moda, joias, música – eu amo música. Eu adoraria me envolver nisso em algum momento. Sim, acho que agora tenho muita sorte de ter viver o momento no campo em que estou. Estou confortável apenas vendo quanto tempo consigo surfar nesta onda. Eu diria que dirigir e trabalhar de forma criativa na moda são duas coisas que tenho em mente em um futuro próximo.

AM: Certo. Existem certas coisas que se você fosse trabalhar com moda, você gosta [em termos de] estilos? Ou coisas que despertam especialmente seu interesse?

HFT: Eu acho que o aspecto do design, não um grande logotipo ou marca. Eu realmente gosto da ideia de … Eu sempre gostei de rabiscar. Acho que apenas a ideia de desenhar algo legal, algo que ressoa nas pessoas e que as pessoas querem usar, acho que ficaria muito satisfeito com isso.

AM: Certo.

HFT: Desenhar artisticamente isso em roupas ou joias seria algo que eu adoraria fazer. Para ser honesto, há muito que podemos conversar. Essa coisa de trabalhar horizontalmente, há tantas coisas que eu adoraria fazer. Acho que é apenas para chegar ao momento certo em sua vida, onde você pode reservar um tempo para fazer isso, porque, como eu disse, sou muito grato pelo momento e pelas oportunidades que tenho agora. Eu não quero prejudicá-los tirando um pé cedo demais.

AM: Sim, é engraçado você ter dito isso. Eu ia dizer que a visão que tive de você não era que a atuação você não leva a sério, mas apenas que há tantas coisas diferentes ao seu redor e tantas oportunidades diferentes.

HFT: Sim. Sim.

AM: Talvez não de imediato, mas posso ver você se estendendo para coisas completamente diferentes. Talvez você decida que nos próximos cinco anos você não será um ator e talvez um designer de moda, ou talvez um piloto de avião, ou [o que quer que seja].

HFT: Sim, exatamente. Estou tão feliz que você disse isso também. Eu atuei. Isso foi ótimo por um tempo. Então, de repente, você não está em nada por vários anos. Você meio que pensa: “Oh, eles sumiram. Onde eles estão? Eles não têm mais sucesso.” Acho que há muito a fazer, especialmente quando você tem a segurança financeira de fazer as coisas que você quer e que lhe dão a liberdade de tirar um tempo e fazer, como estamos falando, praticamente qualquer coisa, o que é uma sorte estar nessa posição. Acho que seria bobagem não explorar isso.

AM: Qual é a sua roupa favorita de vestir, já que estamos falando sobre moda?

HFT: Eu digo isso o tempo todo, mas roupas de treino é adequado apenas porque sou um fã de conforto. Muitas vezes, se estou apenas indo para a casa de um amigo ou indo ao futebol, ou cinema, a menos que eu vá para um jantar ou algo onde eu queira me vestir bem – o que é uma história diferente, a grande maioria o tempo eu estou apenas vestindo um traje de moletom.

AM: Se você se vestir bem, o que você gostaria de vestir?

HFT: Gosto de fazer de forma bastante simples. Para ser sincero, eu tendo a não gostar das cores mais brilhantes. Gosto de usar um cinto bonito, um pouco de joia. Os acessórios fazem isso para mim. Eu uso chapéu o tempo todo. Eu acho que na maior parte do tempo para papéis, você deve deixar seu cabelo crescer ou ter o comprimento máximo para que eles possam trabalhar com ele. Por causa disso, eu meio que gosto de cobrir meu cabelo bagunçado com um chapéu. Estou ansioso pela liberdade de poder ter cabelo curto novamente, porque para After, o personagem tem cabelo mais comprido do que eu.

AM: E você prefere ter cabelo curto?

HFT: Isso é uma coisa que eu… Sim, eu meio que, eu acho, desisti três anos atrás. Foi um pequeno sacrifício que tive que fazer para fazer parte de After, o que obviamente não é nada em comparação. Sim, sinto falta do corte reto e posso acordar e não me preocupar se meu cabelo está bagunçado ou não.

AM: Quando você diz jóias, de que tipos de jóias você gosta?

HFT: Novamente, é mais como … Estou usando duas correntes de ouro finas no meu pulso, pulseiras e duas correntes em volta do meu pescoço. Um tem um escorpião porque sou de Escorpião. O outro é um limpador de chaminés que comprei em uma loja local em Brixton, na esquina. Eu penso em limpadores de chaminés como muito ingleses, e quando estou fora, é bom ter aquele pequeno símbolo de… Eu não tenho muitas joias. Nada disso é muito caro, ou muito grande ou muito chamativo.

Não tenho nenhuma tatuagem, mas para mim sinto as joias um pouco como uma tatuagem. Conta um pouco de uma história. Não é tanto uma grande parte da minha roupa, mas mais para mim. Me faz sentir bem ter algo sentimental comigo.

AM: E o cheiro? Você usa perfume?

HFT: Eu faço. No momento, estou usando o perfume Ferragamo no qual trabalhei com eles.

AM: Legal. Conte-me sobre os cheiros e a história.

HFT: É Ferragamo by Ferragamo. Fui gravar a campanha com eles por alguns dias. Foi uma coisa tão divertida de filmar. Éramos super eficientes. Conseguimos fazer muito em um dia. Sim, pedi que mandassem um monte para dar aos amigos, então eles me enviaram um lote de 15 do gel de banho, o spray de viagem e a loção pós-barba e tudo.

Agora todos os meus amigos têm o mesmo cheiro. Foi bom poder dar um presente a eles.

AM: Além de Ferragamo, existem certos aromas de que você gosta e que são evocativos para você?

HFT: Gosto do cheiro da grama recém-cortada. Isso é muito bom para mim. Tênis novos. Não tenho carro, mas tenho aquele cheiro de carro novo quando você entra no de alguém. Eu amo isso. Há um certo cheiro em Londres quando chove que não sinto cheiro em nenhum outro lugar.

AM: Sim.

HFT: Quando chove, meio que traz o cheiro do chão de … não sei, mas é muito nostálgico. Eu amo esse perfume, para citar alguns.

Fiz algumas entrevistas com a Ferragamo para promover a fragrância em si. Muitas vezes me perguntaram quais são alguns dos meus aromas favoritos, e esse sempre foi um deles.

AM: Sim, é realmente um perfume muito bonito. Eu sou da Índia e há um perfume que você pode comprar na Índia que se chama Mud, e é esse cheiro.

HFT: Sério?

AM: Sim, e é aquele cheiro … Em hindi, quando começa a chover. Então, quando há um alto teor de umidade no ar, o cheiro se torna mais forte. As moléculas de terra sobem no ar para que você possa sentir seu cheiro com mais intensidade.

HFT: Sim, não, é interessante. Tenho certeza de que é exatamente isso.

AM: Sim. Apenas algumas perguntas simples. Se você mora sozinho, o que tem sempre na sua geladeira?

HFT: Não muito, porque sou um fã do take-away. Eu sempre preciso de suco pela manhã. Qualquer suco fresco. Eu vario entre laranja e maçã, salada de frutas.

AM: Você não mora sozinho agora, certo?

HFT: Não. Moro com um menino e uma menina, com quem fui à escola.

AM: Ah legal. Isso é divertido.

Hero Fiennes Tiffin: Sim, me mudei no final do ano passado a cerca de 15-20 minutos de distância. Então, ainda estou perto da minha família, no mesmo bairro de todos os meus amigos. Especialmente com o lockdown, fui muito abençoado por ter saído bem a tempo. Eu amo minha família, mas acho que depois de 22 anos, todos nós precisamos de uma pausa.

AM: Se você apenas pensar em sua vida, qual é a sua melhor memória?

Hero Fiennes Tiffin: Possivelmente no primeiro Natal depois de receber uma quantia justa por alguns trabalhos que fiz, e ser capaz de realmente dizer que pagaria jantar de Natal, sendo capaz de conseguir o tipo de presentes que você quer para sua família e que eles merecem.

Às vezes, não me sinto mal em dizer isso, mas às vezes você hesita em dizer, mas para ser completamente honesto, a liberdade financeira que este trabalho e os trabalhos que fiz me deram para ajudar meus amigos e família é definitivamente a coisa mais importante para mim.

AM: Se você quiser compartilhar, não precisa, qual é a sua memória mais sombria?

HFT: Eu tive uma motocicleta roubada. Eu tinha cerca de $ 2.000,00 em meu nome quando era mais jovem, de trabalhar em uma loja de alimentos para churrasco. Sempre adorei essa moto. Foi muito bom. Fiquei com ela por cerca de uma semana e, estupidamente, foi minha própria culpa, mas deixei do lado de fora.

Eu durmo na sala da frente. Eu estava com meu cachorro na cama e ele late horas antes de o carteiro chegar, então achei que estávamos bem. Literalmente, aquelas três ou quatro horas que a moto foi roubada, tirei duas semanas da escola. Eu estava andando por aí com meu cachorro perguntando a todos e a todos se tinham visto ela.

Eu literalmente não tinha dinheiro depois de ter aquela moto, porque era todo o dinheiro que eu tinha, e acabou em três ou quatro dias. Acho que essa foi definitivamente a minha memória mais sombria, mas 100% neste ponto agora, definitivamente me tornou uma pessoa mais forte, me dando as ferramentas certas para lidar com essas coisas. Sim, foi difícil superar, para ser honesto.

AM: Você tem uma moto nova agora?

HFT: Não, na verdade. Você sabe o quê? História engraçada, dois anos depois eu estava … Eu estava fazendo um trabalho de modelo no norte de Londres e moro no sul de Londres. Recebi uma ligação dizendo é a polícia: “Você se envolveu em um roubo nos últimos dois anos?” Eu estava tipo, “Cale a boca. Quem é?” Pensando que é um dos meus amigos tentando me pregar uma peça.

Eu disse: “Estou no trabalho. Eu não tenho tempo.” Eles ficam tipo, “Não, é a polícia. achamos que encontramos sua moto.” Então, consegui fazer algumas ligações e pedir a alguém para ir buscá-la por enquanto. Sim, eu peguei de volta. Toda vez que estou prestes a fazer um seguro, sinto que vou embora em um mês por vários meses, então nunca tive tempo para isso. Mas sim, estranhamente a moto voltou para mim.

AM: Isso é mágico.

Sim. É engraçado porque sinto que há uma grande diferença de idade e também… Eu sei que você tem irmãos. Eu sei que você tem irmãos mais velhos. Você é o mais novo? Estou correta?

HFT: Sim, tenho um irmão mais velho e uma irmã mais nova.

AM: Oh ok.

HFT: Eu sou o do meio. Meu irmão é dois ou três anos mais velho e minha irmã quatro anos mais nova.

AM: Ok, porque parece, e você pode me corrigir se eu estiver errada, mas parece que quando criança você se sentia como se fosse… Mesmo que você fosse um artista um pouco na família, você é um tipo de solitário em um sentido, e você tinha suas próprias coisas. Isso faz sentido?

Hero Fiennes Tiffin: Mais ou menos, mas eu não acho que era um artista quando era mais jovem. Eu nunca fiz nenhuma atividade de drama extracurricular.

AM: Mais na família. Na família você era meio que o artista, correto ou não?

HFT: Acho que não. Por que você pensa isso?

AM: Parece-me que … Bem, um, esse é o clássico filho do meio de qualquer maneira.

Hero Fiennes Tiffin: Sério?

AM: Sim. É meio que … Porque parte da razão é porque você está sempre mediando relacionamentos, se estiver no meio.

HFT: Sim, é interessante. Para ser honesto, acho que minha família foi muito boa em garantir, meus pais em particular, apenas garantir que nos sentíssemos confortáveis ​​e que poderíamos fazer o que quiséssemos e eles nos apoiariam e outras coisas.

Acho que era um garoto típico de Londres que só queria relaxar com meus amigos e jogar futebol. Era apenas futebol no parque todos os dias, videogame. Então você envelhece e há mais a fazer do que apenas jogar futebol. Eu acho que toda a coisa de atuar, eu realmente acho que simplesmente caí nessa. Nunca fiz nenhum drama extracurricular. Eu nunca me inscrevi para o show de talentos ou algo assim. Era apenas o que eu precisava fazer.

Os testes realmente começaram como apenas um dia de folga da escola, com o incentivo de fazer testes para outras coisas. Quanto mais empregos eu tinha e trabalhava, mais eu comecei a perceber o quanto eu realmente gosto disso e como sou sortudo por ter esse tipo de oportunidade. Agora, meu amor pela carreira realmente cresceu, pois tenho feito mais e mais trabalhos, e ainda está crescendo.

Estranhamente, acho que nunca foi algo que planejei fazer. Eu nunca teria pensado que acabaria assim… Quer dizer, houve até momentos em que fiz alguns papéis e minha mãe disse que alguém disse que pensava que eu seria um ator. Lembro-me de ter pensado: “Não. De jeito nenhum, eu não vou ser ator. Eu só estou fazendo isso um pouco por diversão.” E sim, acho que uma coisa levou à outra. E agora, genuinamente, eu amo isso. Eu realmente amo isso. Mas, foi um processo muito gradual para se apaixonar por ele.

AM: Quando você era jovem, o que você pensava que queria fazer?

HFT: Como qualquer outra criança, tudo o que você quer fazer é jogar futebol. Minha família, porém, não se importava com o futebol.

AM: Sério?

HFT: Sim. Então, é apenas com amigos que eu queria fazer isso. Aos 11/12 anos foi quando fiz Harry Potter, que foi minha primeira grande coisa que as pessoas realmente viram e souberam. Acho que a partir daí meu caminho se desviou. Ainda jogo futebol o tempo todo. Agora meus amigos começaram um time. Como se estávamos falando sobre trabalhar horizontalmente, adoro o fato de ter ficado afastado por alguns meses para trabalhar em um filme, e esse é meu único propósito e toda a minha atenção está nele. Então eu volto e tenho a liberdade de explorar outras coisas.

Isso, para mim, é realmente uma grande vantagem do trabalho, o fato de ser uma quantidade de trabalho curta e concisa e então você pode tirar o tempo que quiser até o próximo projeto aparecer.

AM: Eu também senti que você era uma espécie de … Eu senti que seu cachorro é realmente a coisa, mais a coisa, o ser que mais tem um tipo de fundamento em você. Isso faz sentido?

HFT: Sim. Na verdade, ele faleceu na noite antes do meu aniversário no ano passado.

AM: Oh, sinto muito.

HFT: Obrigado. Honestamente, obviamente aquele aniversário foi difícil. Poucos dias depois, eu realmente olhei para trás e pensei: “Seu trabalho como dono de um animal de estimação não é mantê-lo vivo para a eternidade, mas apenas dar a ele uma vida excelente.” E eu sei que ele teve uma vida ótima. Tenho muita sorte de tê-lo desde os tempos em que o tive, ou seja, basicamente durante toda a minha adolescência.

Eu só acho que especialmente isso é uma coisa normal hoje em dia, então não é o fardo mais difícil de todo. Mas só com os pais se separando e mudando de casa, às vezes era um pouco difícil… Só de ter um cachorro lá, ele realmente era meu melhor amigo. Há uma citação: “Quanto mais aprendo sobre as pessoas, mais amo meu cachorro.” Sim, ele estava lá para mim em uma grande parte da minha vida.

Eu tenho muita sorte de tê-lo tido durante esse tempo. Fundamento foi uma palavra que você usou, e eu definitivamente acho que essa foi uma das coisas principais. Você apenas percebe o que é importante e o que não é quando você tem um cachorro. Tudo o que eles precisam fazer é comer e correr. E ter essa obrigação faz com que tudo o mais pareça menos importante, no bom sentido e menos um problema.

Eu acho que Diesel, meu cachorro, realmente ajudou a me moldar para ser quem eu sou hoje.

AM: Sim, ele parece como seu animal medicinal.

HFT: Sim.

AM: Muitas pessoas acham que você tem um lado sombrio como artista?

HFT: Oh sim? Sim, na verdade, ainda estou aprendendo como eu… Papeis em que me sinto confortável e no que sou bom ou não, e penso da mesma forma que sinto que entrei na carreira. Sinto que ainda estou realmente aprendendo em cada trabalho que faço e tentando absorver todas as informações que posso. Só acho que depois de cada trabalho, aprendo muito mais sobre mim. Eu realmente não seria capaz de dizer agora quais papéis amo e pelos quais me sinto mais atraído.

Eu definitivamente não gostaria de ser apenas o cara mau ou apenas o cara bom. Eu amo o fato de que as pessoas estão dizendo isso. Definitivamente, quero continuar provando que eles estão errados sempre que pensarem que sou uma coisa, se isso fizer sentido. Eu adoro atores versáteis e acho que um dos meus objetivos como ator seria definitivamente demonstrar um nível de versatilidade nos papéis que faço.

AM: Acabei de receber uma mensagem de que preciso encerrar isso. Você quer me perguntar alguma coisa?

HFT: Não particularmente. Você parece uma das pessoas mais interessantes para ser entrevistado, porque sempre gosto de ficar oscilando um pouco para frente e para trás. Eu sinto que há muitas coisas que eu adoraria ouvir você dizer. Mas não, sem perguntas em particular. O que você está fazendo principalmente no momento, entre todas as coisas em que se envolveu?

AM: Oh, achei que você quisesse perguntar sobre você. O que estou fazendo na verdade é trabalhar como vidente e médium. O que é interessante é que eu noto muitos espíritos ao seu redor. É por isso que vou perguntar.

HFT: Sério? Você pode me falar mais sobre isso no pouco tempo que temos, porque estou muito interessado. Como uma pequena anedota rápida, minha mãe, antes de eu nascer, eu acredito, foi a uma vidente que disse a ela que seu segundo filho seria ator, e ela nem sabia que teria um segundo filho naquela época. Ela disse: “Tenho certeza que você está confundindo isso com meu irmão.” Ela disse, “Você deve estar entendendo parte da coisa certa, mas do tipo errado” e ela disse, “Não, não. Você vai ter um segundo filho, e ele será um ator.”

AM: Você tem dois avôs espirituais ou eles ainda estão aqui?

HFT: Todos os meus avós estão mortos agora.

AM: Sim, porque sinto dois avôs ao seu redor com bastante força. Alguém esteve no exército?

HFT: Não tenho certeza. Possivelmente por um curto período de tempo.

AM: Sim. A pessoa que estou vendo, parece que era quando era jovem, e também parece que ele era um homem alto, e ele … Parece que agora é uma presença muito encorajadora.

HFT: É engraçado você dizer isso. O pai da minha mãe, as pessoas costumam dizer… Eu vi o irmão da minha mãe recentemente. Ele disse que eu parecia exatamente com ele neste momento da minha vida, por algum motivo. Eu o conhecia a tal ponto que acho que tinha uns quatro ou cinco anos quando ele faleceu. Eu me lembro dele, mas não… Eu não acho que tive tempo suficiente na minha vida mais tarde, onde consegui crescer o suficiente para ter conversas significativas com ele e outras coisas

Acho que vou perguntar à minha mãe se ele fez algum trabalho no exército e outras coisas, porque isso é … Você pode estar certa.

AM: Ele realmente parece ser alguém que te incentiva muito, então se você fizesse, e eu acho que você poderia se quisesse, se você sentasse e apenas escrevesse algo automático. Apenas escreva tudo o que surgir… Fique quieto e depois escreva o que surgir na sua cabeça.

Hero Fiennes Tiffin: Sim.

AM: Tenho a sensação de que ele tentaria se comunicar com você, porque parece que ele está empurrando você o tempo todo para fazer coisas.

Hero Fiennes Tiffin: Sério?

AM: Talvez

HFT: Ei, é interessante você dizer isso. Para ser completamente honesto, minha mãe ama todas as coisas em termos de espiritualidade e tudo o que você tem abordado. Meu pai é muito menos e muito mais próximo da ciência e da lógica por trás disso. Mais uma vez, do ponto de vista do filho do meio, acho que realmente me pego aplicando lógica a todas as coisas para as quais dou o benefício da dúvida, porque aceito que há tantas coisas que não sabemos. Eu acho que realmente gosto de me colocar bem no meio de todas essas coisas. Estou sempre super interessado em ouvir sobre isso.

AM: Você se sente… Há um ator, digamos, que você sente que canaliza como ator quando está atuando?

HFT: Não. Para ser honesto, eu realmente faço um esforço quando estou agindo para tirar tudo da vida real e o tipo de pessoa que conheci na vida real. Acho que, por não ser treinado, gosto de trazer um nível de autenticidade da vida real em vez de reproduzir e ser inspirado por atores anteriores e pelo trabalho que eles fizeram. Não acho que qualquer abordagem seja melhor ou pior, mas sim, só acho que é assim que eu tendo a ver as coisas.

AM: Vou fazer uma pergunta muito rápida: quando você é um ator, você tem todas essas vidas diferentes. Você está interpretando vidas diferentes, histórias diferentes e personalidades diferentes. Você tem algum tipo de exercício ou algo que você faz para voltar a ser você mesmo, ao Hero no final?

HFT: Escutar musica. Ouvir o tipo de música que eu gostaria de ouvir. Talvez conversar com um amigo, especialmente em um dia longo e você está terminando… Ou, uma filmagem noturna e você termina à noite, eu meio que tenho uma explosão. Eu vou ficar tão cansado no final, e assim que você terminar – e isso vale para qualquer trabalho que eu já fiz, eu só recebo uma descarga de energia. Eu acho que quando você está tão no espaço da cabeça de outra pessoa, eu só quero conversar com meus amigos sobre meus problemas, ou desejos, ou o que seja. Ouvir minha música e conversar com meus amigos é o que eu faço para voltar à minha cabeça depois de estar em um papel.

AM: Qual é a música? Qual é a música que mais conecta você?

HFT: Muito disso, especialmente quando estou tentando voltar ao espaço da minha cabeça, eu diria rap do Reino Unido. Há muitos subgêneros diferentes do rap do Reino Unido, mas acho que aqueles que tendem a ser mais poéticos e líricos do que otimistas e musicalmente tão rítmicos, mais do que o tipo de coisa lírica e poética, neste momento é apenas o que eu cresci. É uma sensação super perto de casa, e isso realmente faz o trabalho de me colocar de volta na minha cabeça.

AM: Legal. Acho melhor deixar você ir porque vou me meter em problemas. Poderíamos continuar conversando por mais algumas horas.

HFT: Sim, não se preocupe. Muito obrigado por tomar o tempo.

AM: Sim, muito obrigado por compartilhar seu tempo comigo.

HFT: O prazer é meu. Estou ansioso para ler isto quando estiver impresso.

AM: Eu morava em Brixton também, na verdade.

Hero Fiennes Tiffin: Oh mentira? Sim, eu literalmente cresci … Costumávamos morar em Stockwell, e meus pais literalmente se mudaram para Junction, do outro lado de Brixton.

AM: Oh certo, sim.

Bem, legal. Super moderno. Quando eu morava lá, estava apenas começando a ficar na moda.

HFT: Sim, acho que cresci durante toda a transição disso, e me lembro quando era um pouco menos seguro andar por aí aos oito anos de idade. Sempre me senti muito relaxado, seguro e em casa lá pessoalmente, e acho que é um pouco mais de pessoas querendo ir para lá, e mais motivos para ir lá é bom, mas também estou preocupado com o nível de gentrificação e apenas o fato de que é toda uma cultura de pessoas de Brixton que estão sendo expulsas por causa de grandes redes e outras coisas chegando, o que não é muito bom de ver. Mas ei. Eu amo Brixton.

Original | Tradução e adaptação: Equipe Hero Fiennes Tiffin Brasil



Hero Beauregard Faulkner Fiennes Tiffin (Londres, 6 de novembro de 1997) é um ator e modelo britânico, conhecido por interpretar o jovem Tom Riddle em Harry Potter e o Enigma do Príncipe em 2009. Hero nasceu em Londres, Inglaterra, filho do roteirista George Tiffin e da diretora cinematográfica Martha Fiennes. Tiffin tem um irmão mais velho chamado Titan e uma irmã caçula chamada Mercy.
Saiba mais
Status do site

Nome: Hero Fiennes-Tiffin Brasil
No ar Desde: 06/11/2018
Equipe:  Conheça nossa equipe.
Visitas: |
Host: Flaunt Network | DMCA | Privacy Policy
O Hero Fiennes-Tiffin Brasil não tem qualquer ligação com o Hero, familiares, diretores e seu agente. Todo o material postado aqui é de propriedade de seus respectivos autores. Pedimos que se usarem algo da nossa autoria, como traduções, fotos ou qualquer outra coisa, por favor não esqueçam de creditar. Se você é dono de algum material que foi postado aqui e deseja que seja removido, entre em contato antes de tomar qualquer ação legal.

APARIÇÕES E EVENTOS ENSAIOS FOTOGRÁFICOS E CAMPANHAS FLAGRAS FILMES SÉRIES SCANS VARIADAS