Por Stephanie Eckardt (15 de abril de 2019)

Tecnicamente, Hero Fiennes-Tiffin fez apenas cerca de um mês divulgação em sua vida, mas foi o bastante – compreensível, já que agora ele é basicamente o Harry Styles encarnado da fan fiction. O fato de que Hardin Scott, o personagem no centro do romance em After, de Anna Todd, era vagamente baseado em Styles, nunca pareceu importar muito para seus fãs; A história, que Todd começou a escrever em seu telefone, foi lida mais de 1,5 bilhão de vezes desde que foi publicada no Wattpad em 2013. Naturalmente, o número só se multiplicou desde o anúncio da adaptação cinematográfica, que chegou aos cinemas na sexta-feira.

Quando Todd primeiro avisou Tiffin do caos que viria com Hardin, o ator de 21 anos não acreditou. (Afinal de contas, ele é um ex-aluno dos filmes de Harry Potter.) Por mais que o fandom da história superasse suas expectativas – eles parecem gostar de cumprimentá-lo nos portões do aeroporto – não são os fãs com quem Tiffin está tendo dificuldades, mas as questões de nível superficial que o atormentaram desde que ele veio aos olhos do público. (Como você deve ter notado, ele parece estar em todos os lugares ultimamente.)

Então, aqui estão as respostas para as perguntas que Tiffin está francamente cansado de responder: Sim, seus tios são os aclamados atores Joseph Fiennes e Ralph Fiennes. (Ele interpretou a versão de 11 anos de Lord Voldemort de Ralph no sexto filme de Harry Potter.) Sim, eles provavelmente o inspiraram a ser um ator, mas sua verdadeira motivação para fazer seu primeiro teste foi faltar a escola . E sim, seu nome é realmente Hero, que se tornou um quebra-gelo útil. (Surpreendentemente, ele não sofreu bullying ao crescer – apenas ouvindo interpretações de uma certa canção de David Bowie.) Quanto ao que considera as coisas mais importantes, leia sobre Tiffin ao interpretar o personagem baseado em Harry Styles e o controverso relacionamento de After, aqui.

O que mais se destacou para você ao fazer seu primeiro grande filme, especialmente agora que você acabou de sair de um mês de divulgação?

Acredito que a quantidade de divulgação têm sido o maior choque. Topo tudo, mas é bastante. E sinto que os fãs, especialmente com After, são loucos. Estão em todos os lugares, e são tão entusiasmados e apoiadores. Anna [Todd] tentou nos avisar, mas eu realmente não acreditei na proporção do que ela explicou, o quão louco seria, especialmente agora que o filme será lançado. Eu estava como, “Certo, claro, claro, não pode ser tão ruim assim,” mas na realidade excedeu minhas expectativas.

Achei que você já estivesse acostumado com fandom, já que seu primeiro trabalho foi Harry Potter.

Eu era muito jovem e foi um papel pequeno, mas o divulguei — fiz uma convenção em certo momento, o que foi legal, e novamente, os fãs são muito entusiasmados, apoiadores e respeitosos. Mas não teve nenhum impacto em minha vida enquanto crescia, a não ser o fato de que fiz o filme. Nunca fui reconhecido nas ruas por Harry Potter — era muito novo, estava passando pela puberdade e mudando meu cabelo e como eu me parecia. E sinto que não haviam tantos Potterheads na região que fui criado.

Parece que os dias de não ser reconhecido na rua acabaram.

Para ser honesto, é impressionante e demora para se acostumar, mas acho que tem sido mais louco do que será quando terminarmos e não estou postando meu paradeiro para que as pessoas não saibam onde estarei. Com a turnê de imprensa, as pessoas realmente conhecem nosso cronograma; se dissermos que faremos uma sessão de autógrafos do livro neste lugar e neste dia, eles apenas verificam os voos de onde fomos fotografados pela última vez, e há apenas um ou dois voos, então eles vão para o aeroporto e esperam e arriscam. Foi mais intenso no Brasil – cinco vezes mais do que qualquer outro lugar.

 

Como você acabou se envolvendo com o After?
Foi uma das várias audições que eu fiz, e continuei recebendo feedback. Então eu fiz uma ligação pelo Skype e voei para L.A. para um teste de química, e começou a parecer um pouco mais real. Voltei para casa por cerca de um mês e meu agente da L.A. estava em Londres, me convidou para tomar uma xícara de café e disse: “Infelizmente, você não conseguiu o papel”. E eu estava tipo, “o que? Eu meio que acho que sim…” E cinco segundos depois, ele ficou tipo “Não, estou brincando, você conseguiu”. Então voltei para Atlanta e começamos a filmar naquele verão.

O que foi sobre o papel que inicialmente atraiu você?

A complexidade e mistério do personagem, que é especialmente atraente para um ator para um primeiro papel principal. Há tantas camadas que você revela lentamente para o público. É obviamente um trabalho árduo e longas horas e opiniões conflitantes, mas todo o processo de filmagem foi divertido. Nós tivemos muita sorte com elenco e equipe, estou em contato com muitos deles ainda hoje.

Você conheceu Harry Styles, ou você ouve One Direction?

Nunca o conheci, e não ouço One Direction.

Isso o influenciou ao interpretar Hardin?

De modo nenhum. Eu compreendo e aprecio completamente o fato de que a inspiração foi tirada dele no livro, mas se desenvolveu muito a partir de então. Enquanto não sei muito sobre Harry Styles ou One Direction, eu sei que eles não são parecidos com o livro ou o filme. Eu acho que a única semelhança é que nós dois somos altos, magros e brancos com cabelos escuros [Risos]. Obviamente, algumas das inspirações vieram de Anna [Todd], mas já era um personagem tão desenvolvido que não tinha nada a ver com isso quando peguei o roteiro, então não senti a necessidade de pegar mais inspiração de qualquer coisa como Harry Styles ou One Direction.

Tem havido uma quantidade crescente de críticas de que o livro – e, por extensão, o filme – romantiza relacionamentos tóxicos e abusivos. Você sabia disso quando se candidatou para o papel?

Eu descobri isso depois que o filme começou a ser mencionado. E, depois de longas conversas com Anna, não concordo com essa afirmação. Fico mais feliz em falar sobre as opiniões das pessoas sobre o filme, porque é com isso que eu posso falar.

Parece que houve esforços para tornar o relacionamento mais saudável no filme do que era no livro?

Sim, mas não acho que foi pela crítica — e sim porque é algo que está em uma tela em 2019, é diferente de como era como palavras no papel, anos atrás. É apenas uma diferente. Eu adoraria estar envolvido no processo de adaptação de um livro a um roteiro, mas isso simplesmente não é meu trabalho. Nós apenas pegamos de onde o script está.

Você acha que o relacionamento retratado no filme é saudável?

É muito, muito longe de um relacionamento perfeito, mas sim. Essa pergunta – essa é uma relação saudável e vale a pena que eles voltem a ficar juntos? – é sobre o que o filme trata e o que o torna interessante. Eu acho que é uma grande questão na vida de todos, em qualquer relacionamento, e este é apenas um exemplo específico. Não é de forma alguma um guia, mas esperamos que seja apenas uma história divertida de um casal que está tentando descobrir se o amor deles vai funcionar – se valer a pena, e se a outra pessoa é certa para eles.

Então você diria que está explorando, não defendendo, o relacionamento?

Sim, você sabe, para fazer uma história divertida, algumas coisas têm que dar errado.

 

Tenho certeza que o fandom é ainda mais intenso online. É por isso que você não está muito no Instagram?

Eu tinha todos esses aplicativos há muito tempo e, em seguida, excluí-los quando percebi que eu estava apenas perdendo meu tempo. Mas eu mantive o Instagram, porque meus agentes me aconselharam, e eu entendo e concordo completamente que é uma ferramenta tão útil e poderosa, mesmo que você possa se perder nela. Eu criei uma conta para acompanhar meus amigos, mas agora que muitos fãs me seguem, é um público um pouco diferente. Explodiu quando eles anunciaram que eu tinha o papel, mas os fãs começaram a suspeitar quando Anna me seguiu, antes disso. Não que eu realmente observe demais – a única vez que sei se eu, tipo, bati uma marca de seguidores é porque um amigo vai me mandar uma mensagem. Eu definitivamente ainda estou fazendo essa transição para usá-lo para divulgação.

Você tem uma conta fake ou privada?

Não. E para ser sincero, apenas não uso muito. No momento, estou me concentrando no trabalho e me certificando de que acertei, e então sinto que, eventualmente, vou me tornar mais ativo no Instagram novamente. O filme ainda não saiu!

Parece que você tem dedicado muito do seu tempo à moda ultimamente também.

Eu definitivamente dedico muito mais tempo para atuar, mas já que leva apenas um ou dois dias para fotografar e publicar as fotos, enquanto que para atuar você faz uma audição, ou muitas, e você pode não ganhar nenhum papel, fiz o material de modelagem porque, obviamente, se eu tiver a oportunidade, vou agarrá-la. Se eu tiver a sorte de tentar, eu vou. E isso meio que anda lado a lado com a atuação. Estava preenchendo o tempo em que, se eu não tivesse nada para fazer, preferiria me manter ocupado e fazer isso também. Mas a atuação sempre foi uma prioridade. Coisas de modelagem são legais – obviamente você começa a viajar e usar roupas legais, tirar fotos legais – mas para mim, atuar é muito mais criativo, então eu sempre coloco em primeiro lugar. E a Storm, a agência de modelos com quem trabalho, apoiou isso desde o primeiro dia.

Qual foi sua primeira impressão da Semana de Moda?

Ah, posso falar palavrão? Foda-se! Eu odeio muito isso. Adoro roupas legais e conhecer novas pessoas, mas é muito agitado. Eu [desfilei na passarela] uma vez e nunca mais. É só ir de casting para casting, e você acaba ficando em uma sala porque eles dizem que você deve chegar entre cinco e seis, e todo mundo chega às 5:55. Não é tão organizado, e eu sou meio que organizado, então eu prefiro atuação.

 

Depois de After, o que vem por aí?

Acabei de descobrir que tenho um papel de apoio em um thriller chamado The Silencing. Não que eu esteja tentando fugir e fazer o papel mais diferente possível, mas é muito diferente do Hardin. Eu sempre evitei deliberadamente a questão de qual tipo de papel ou gênero eu gostaria de seguir, porque não sei o quanto sou bom ou o quanto gosto de interpretar certos papéis até fazer e descobrir.

Há alguém em particular com quem você gostaria de trabalhar?

Eu adoraria ser dirigido pela minha mãe. Nós provavelmente discutiríamos muito [Risos]. Mas acho que seria legal.

Seus pais apoiaram sua carreira na atuação?

Eles sempre foram um equilíbrio perfeito de apoio e realismo. Estando na indústria, são muito conscientes de quão facilmente as coisas podem dar errado, então eu sempre tive um plano B.

Qual era seu plano B?

Havia um monte de coisas. Eu estava em uma empresa de catering de alimentos; Também fazia paisagismo e renovação de propriedades e coisas – obviamente em pequena escala, mas isso me interessou muito. Mas nós colocamos a atuação no banco da frente e, bem, funcionou.

Arquivado em Entrevista, Notícias, Photoshoots, Revistas

Conheça o novo galã de Hollywood — PEOPLE

A famosa revista PEOPLE publicou uma matéria em seu site com uma entrevista exclusiva com Hero Fiennes-Tiffin. Ele conversou desde sobre seu primeiro papel principal (Hardin Scott, em After), sua família na indústria, os fãs e shippers, até seu próximo filme que já está prestes a iniciar as gravações. Confira traduzida:

Hero Fiennes Tiffin faz sua estreia como personagem principal masculino em After, uma história young adult feita para fazer as garotas ao redor do mundo se apaixonarem por ele.

Prepare-se para conhecer o novo galã de Hollywood.

O ator/modelo britânico de 21 anos, Hero Fiennes-Tiffin está estrelando em After como Hardin Scott, um misterioso e amuado graduando que prende a atenção da inocente caloura Tessa Young, interpretada por Josephine Langford. E seu desempenho fará alguns corações baterem mais forte quando o filme estrear nos cinemas na sexta-feira.

Apesar de que alguns fãs talvez conheçam o filme dada a conexão com One Direction e Harry Styles — a história originalmente foi escrita como uma fanfiction com Styles como personagem principal, que depois se tornou Hardin — After leva Hardin em um caminho diferente com Fiennes-Tiffin no leme.

Leia para saber sobre o britânico que foi escalado para derreter corações [nos cinemas] quando o filme estrear essa sexta.

Ele vem de uma família do ramo da atuação.

Sim, ele faz parte daquela família Fiennes. Seus tios são os atores Ralph Fiennes, conhecido por interpretar Voldemort na franquia Harry Potter, e Joseph Fiennes, que interpreta o Comandante Fred Waterford em The Handmaid’s Tale (O Conto da Aia). Seus pais, Martha Fiennes e George Tiffin também são bem conhecidos na indústria como diretores.

Jeff Spicer/Getty; JB Lacroix/WireImage; BEN STANSALL/AFP/Getty

Enquanto Fiennes-Tiffin diz que sua infância foi super normal e sua família raramente fala sobre a indústria cinematográfica, ele diz que tem sido bom ter um sistema de suporte embutido agora que ele está definindo sua própria carreira.

“Meus tios estão sempre ocupados atuando, então eu raramente os vejo, mas eu sempre que sei que eles estarão ali para me apoiar” ele diz. “Sempre que os vejo, eles sempre fazem questão de conferir como estão as coisas, e se certificarem de que está tudo bem, e me deixam ciente de que eles estão ali para mim. Mas não os vejo muito, então quando isso acontece nós tendemos a conversar mais sobre coisas de família mais do que tudo.”

Photo by Stephane Cardinale – Corbis/Corbis via Getty Images)

Esse é seu primeiro papel principal.

Embora Fiennes-Tiffin seja modelo já há algum tempo e tenha feito parte de alguns projetos, esse é seu primeiro papel principal. O ator conta para a PEOPLE que ele mergulhou no papel e se preparou o máximo que pôde antes de filmar.

“É o tipo de coisa, como ator, que você deseja ansiosamente e espera por isso, e então quando isso acontece, você se pergunta se está pronto ou não,”  ele diz sobre pegar o papel principal. “É apenas esse tipo de coisa que você precisa ir até o fundo, seguir em frente e fazer isso. Eu me preparei o máximo que consegui.”

Ele tem muita química com Josephine Langford, mas ainda é solteiro.

Fiennes-Tiffin e Langford têm uma química eletrizante no filme, que o ator diz que veio naturalmente e se desenvolveu antes de começar a filmar.

“Nós tivemos uma semana de ensaio antecipadamente para focar apenas nas cenas entre nossos dois personagens,” ele diz “e as cenas mais íntimas estavam agendadas bem para o final [das gravações], então tivemos mais tempo para nos conhecermos melhor”

Photo Credit Quantrell D. Colbert

E enquanto Fiennes-Tiffin diz que naturalmente os fãs vão querer que eles fiquem juntos, ele diz à PEOPLE que está solteiro e com esperanças de manter sua vida privada fora dos holofotes.

“É engraçado que as pessoas pensem que, se você atua em um filme de alguns jeitos, elas tentam fazer isso [acontecer] na vida real,” ele diz “Especialmente com romances. Tipo, se você vê alguém morrer em um filme, você não se pergunta se eles estão realmente mortos ou ainda vivos. Mas as pessoas fazem com relacionamentos. É um pouco estranho, eu sinto que no Instagram vimos pessoas dizendo coisas assim já há um tempo atrás. Isso é definitivamente estranho.”

Ele interpretou o jovem Voldemort em Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Um privilégio legal de ter seu tio Ralph interpretando Voldemort em quatro filmes de Harry Potter foi a oportunidade de desempenhar um pequeno papel na franquia de enorme sucesso. Fiennes-Tiffin entrou para interpretar a jovem versão de Tom Riddle, o garoto que acabaria se tornando Voldemort, no sexto filme, quando Alvo Dumbledore (Michael Gambon) vai visitá-lo no orfanato em uma memória revisitada.

©Warner Bros./courtesy Everett Collection

“Foi legal, parecia mais uma experiência divertida do que uma escolha de carreira em potencial quando eu estava fazendo”, diz ele sobre sua parte na infância em Harry Potter. “Eu fui vendido pelos dias de folga da escola mais do que qualquer coisa.”

Hardin é baseado em Harry Styles, mas ele [Hero] não o usou como inspiração.

Embora a série original de After, que abrange 5 livros, seja baseada em Harry Styles, o filme cria uma certa distância entre Hardin e sua famosa inspiração.

“Eu sinto que o personagem é tão separado disso agora e é a sua própria coisa,” ele diz. “Eu realmente não sei nada sobre Harry Styles em termos de como ele é, eu não senti necessidade de me aprofundar nesses aspectos. A fonte original de inspiração foi tirada dele, mas não acho que estamos tentando duplicar a vida dele ou algo assim. É uma história muito separada com um personagem separado.”

Photo Credit: Aviron Picture / (Photo by Dia Dipasupil/FilmMagic)

Seu próximo papel coloca-o ao lado de Nikolaj Coster-Waldau — também conhecido como Jaime Lannister!

Veja também: A ESTRELA DE ‘AFTER’, HERO FIENNES-TIFFIN, SE JUNTA A NIKOLAJ COSTER-WALDAU E ANNABELLE WALLIS EM ‘THE SILENCING’ — DEADLINE

Ele já está em produção em seu próximo filme, um terror de ação intitulado The Silencing, estrelado por Annabella Wallis e Nikolaj Coster-Waldau, de Game of Thrones. O enredo segue um caçador aposentado (Coster-Waldau) enquanto ele se junta à Xerife local (Wallis) para pegar um serial killer que pode ter sequestrado sua filha anos atrás. Fiennes Tiffin interpreta o irmão mais novo de Wallis.

“É o tipo de filme que eu realmente gostaria de assistir e, portanto, quero fazer parte disso. Eu mal posso esperar, estou muito animado”, diz ele.

Mas e a chance de conseguir trabalhar com Jamie Lannister?

“Eu assisto, eu amo Game of Thrones, estou muito animado”, ele timidamente admite, “mas eu prometo que esse não é o único motivo de eu querer fazer esse filme!”

After está nos cinemas sexta-feira.

Matéria Original: PEOPLE | Tradução: Caroline (Equipe Hero Fiennes-Tiffin Brasil)
Arquivado em Notícias

A revista norte-americana, Deadline, publicou hoje uma matéria anunciando que o ator Hero Fiennes-Tiffin foi adicionado ao cast do filme “The Silencing”, confira traduzida:

A estrela de ‘After’, Hero Fiennes-Tiffin, se junta a Nikolaj Coster-Waldau e Annabelle Wallis em ‘The Silencing’

Exclusivo: O ator britânico Hero Fiennes Tiffin foi adicionado ao cast de ‘The Silencing’, juntando-se a Nikolaj Coster-Waldau e Annabelle Wallis no filme que está sendo dirigido por Robin Pront. A produção está prevista para começar esse mês.

Escrito por Micah Ranum, o enredo segue um caçador reformado (Coster-Waldau) que se envolve em um jogo mortal de gato e rato quando ele e o xerife local, Alice Gustafson (Wallis) partem para rastrear um assassino cruel que pode ter sequestrado sua filha anos atrás. Tiffin vai interpretar o irmão mais novo e perturbado de Alice, Brooks.

Cybill Lui, da Anova Pictures, está produzindo o projeto com a produtora Matt Cod, da Wilding Pictures, e a produtora executiva da XYZ Films. XYZ e Endeavor Content representam vendas nos EUA.

Fiennes Tiffin está prestes a estrear como co-lead no drama YA ‘After’, baseado no romance best-seller de Anna Todd. Ele interpreta o sombrio e misterioso Hardin Scott, que conhece a boa menina Tessa (Josephine Langford) e vira seu mundo reservado de cabeça para baixo. O filme será lançado pela Aviron Pictures em 12 de abril.

Fiennes Tiffin é representado por ICM Partners, The Artists Partnership no Reino Unido e Bloom Hergott Diemer.

Arquivado em Artigos, Notícias, Projetos

O NOSSO AMOR SEM FIM — CHI MAGAZINE

A revista italiana ‘CHI’ publicou em sua nova edição, uma matéria sobre ‘After’ acompanhada de uma breve entrevista com os atores, Hero Fiennes-Tiffin e Josephine Langford, confira traduzida:

O primeiro capítulo da saga bestseller de Anna Todd chega ao cinema. Os protagonistas da história de amor mais amada pelos adolescentes são dois “parentes da arte” e dizem a “Chi” as honras e responsabilidades de serem os novos Robert Pattinson e Kristen Stewart.

Atlanta (Estados Unidos). Hero Fiennes-Tiffin, 21, e Josephine Langford, 21 anos, em ‘After’. Em 2009, Hero apareceu em “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, no papel da criança que mais tarde se tornaria Lord Voldemort: curiosamente, Voldemort é o personagem interpretado na saga por seu tio de verdade, o ator Ralph Fiennes.
Cada geração tem sua prória “moda” romântica. Mães que sonharam com “amor infinito” terão visto suas filhas idolatrarem ‘After’ nos últimos quatro anos (que mais tarde se tornou uma saga) – o bestseller de Anna Todd. O amor na faculdade entre a pura Tessa e o bonito e “malvado” Hardin, um negócio de 1,5 bilhão de leitores na web e 1,5 milhões de cópias vendidas apenas na Itália, hoje se torna um filme, com muito menos sexo explícito do que no livro. Comparado por muitos como “Cinquenta Tons de Cinza” adolescente, ‘After’ se torna um fenômeno como ‘Crepúsculo’: os protagonistas, o inglês Hero Fiennes-Tiffin e a australiana Josephine Langford, ele sobrinho de Ralph Fiennes e ela irmã da protagonista da série ’13 Reasons Why’, compartilham com ‘Chi’ as honras e as responsabilidades de fazer parte disso.

“After” é uma coisa sagrada para os adolescentes.

Hero: É uma grande responsabilidade, é verdade, estar à altura de personagens que todos amam. Tornar-me Hardin foi difícil, mas também gostei muito. Eu sei que inicialmente (quando After era apenas um fanfic na web), Anna Todd tinha baseado a aparência do meu personagem no vocalista Harry Styles, mas hoje a história está ligada a uma imagem diferente.
Josephine: Juntar dois mundos diferentes, o de Tessa, tão inocente, e o de Hardin, tão cheio de dificuldades e surpresas, foi um desafio, mas Anna nos acompanhou em tudo e nos ajudou muito na preparação.

Estão prontos para se tornarem “sex symbol”?

Hero: Eu gosto de pensar que será algo mais que sexo, mas sim, pode ser legal.
Josephine: Estou completamente despreparada.

Ela se apaixona, ele tem um segredo, eles se juntam, há um obstáculo, eles se encontram: o que torna ‘After` mais especial do que isso?

Josephine: São os personagens: Tessa e Hardin são realistas em representar um sentimento e acima de tudo, as suas complicações.

O amor é complicado?

Josephine: Todas as meninas sabem disso.

Vocês já o encontraram?

Hero: Ainda não. Mas tenho bons exemplos para me inspirar na minha família.

Filmando ‘Crepusculo’, Robert Pattinson e Kristen Stewart se tornaram duas estrelas e também um casal. Todos se perguntarão se entre vocês…

Josephine: Todo personagem romântico gera expectativas parecidas, então, estou pronta para os rumores. Mas estou solteira.

Na única cena de sexo (muito mais casta que no livro) dão uma grande importância em usar preservativos.

Hero: Há um delicado equilíbrio entre fazer uma história interessante e, ao mesmo tempo, mostrar bons exemplos, pelo menos em certos comportamentos.
Josephine: Anna queria muito enviar uma mensagem sobre sexo seguro, há um tipo de responsabilidade em tudo isso.
Hero: Em relação à cena, a ausência de nudez tirou um pouco a nossa vergonha. Também ter nos tornado amigos e amigos da diretora nos ajudou: eu sempre ia à casa dela para jogar Fortnite com seus filhos, eu também lavava minhas roupas lá…

Tessa deixa o namorado para o difícil Hardin. Boas garotas preferem os bad boys?

Hero: Perguntem a elas.
Josephine: E quem estabelece isso, a fronteira entre o bom menino e o bad boy?

 

As scans dessa matéria, você pode conferir acessando: heroftbrasil.com/galeria

Arquivado em After, Artigos, Destaque, Entrevista, Notícias, Revistas

A Revista WWD, publicou hoje fotos de um ensaio fotográfico, acompanhadas de uma entrevista com Hero, que você pode conferir traduzida a seguir:

O ator britânico chega ao drama romântico “After” como o bad boy Hardin Scott.
Se tudo o que você sabe sobre Hero Fiennes Tiffin são seus ensaios editoriais, ou as cenas de seu personagem nos trailers do filme “After”, você pode se surpreender com a humildade saudável do verdadeiro Fiennes-Tiffin. Apesar de seu papel de estréia como protagonista no cinema – e um dos mais aguardados -, o ator de 21 anos parece estar enraizado em gratidão sem pretensão. Consciente de que a entrevista teve que ser remarcada várias vezes para encaixar uma turnê promocional em todo o mundo que estava apenas começando a aumentar, ele começou e encerrou a conversa com um pedido de desculpas pelo que estava fora do seu controle. “Desculpe por ter demorado tanto” diz ele, talvez pela terceira vez.

Ele pode interpretar o bad boy na tela, mas pessoalmente sua doçura brilha.

Para o ator e modelo britânico, seu caminho para estrelar ao lado de Josephine Langford em “After” foi um longo processo. Seu primeiro papel foi uma participação de um dia para um amigo de seu pai – um diretor de fotografia e diretor-roteirista – quando ele tinha nove ou dez anos; Seu próximo papel foi interpretar o jovem Tom Riddle em “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, mais tarde retratada por seu tio, Ralph Fiennes. Seu outro tio é Joseph Fiennes; sua mãe também trabalha na indústria, como diretora. Fiennes Tiffin estava praticamente destinado às telonas.

“Acho que foi uma coisa gradual”, diz Fiennes Tiffin sobre sua incursão no cinema. “Minha família estando na indústria definitivamente teve um efeito sobre isso no começo, porque eu não teria considerado uma opção se eu não estivesse em uma família que faz isso.” Apesar de seus primeiros papéis, ele não foi imediatamente convencido [a atuar]. “Eu não saí pensando: ‘É isso que eu quero fazer’. Continuei indo para a escola e fazendo coisas normais de crianças que crianças querem fazer. E foi o tempo que passei longe da atuação que eu percebi o quanto eu gostava”, acrescenta. “Meus pais obviamente sempre me apoiaram muito nessa indústria, mas também me deixaram muito ciente de que isso não é garantido e você também deve ter um plano B e outras coisas. O que é, obviamente, completamente verdadeiro, mas felizmente agora estou em uma posição em que está indo bem.”

Indo bem é um eufemismo, embora Fiennes Tiffin permaneça democrático sobre a reação ao filme antes de seu lançamento oficial. O filme é uma adaptação da popular série de romance para adultos recém-publicada por Anna Todd, que começou a escrever a história como uma fan fiction de Harry Styles. (O personagem de Fiennes Tiffin teve seu nome mudado para Hardin Scott, para a publicação). Se tudo correr bem nas bilheterias, existem livros subsequentes da série prontos para serem lançados. O projeto tem semelhança com outro sucesso auto-publicado: “Fifty Shades of Grey”, que foi inegável em sua influência sobre a carreira da estrela Jamie Dornan. Ainda há algumas semanas até a estreia do filme, Fiennes Tiffin ainda não assistiu à edição final.

Estou esperando o momento certo – meu laptop está quebrado”, diz ele. “Eu tenho a capacidade de assisti-lo; Eu vou assistir quando for a hora certa.” Ele não estava com muita pressa, no entanto. “Eu sinto que assistir a si mesmo é sempre um pouco estranho, mas assistir a si mesmo em cenas de sexo provavelmente será um pouco mais estranho. Estou interessado em ver como eu reajo.”

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

“Espere e veja” define grande parte da abordagem de Fiennes Tiffin à sua carreira no momento. Com tanto fandom em torno do projeto, ele parece destinado a se encaixar nas mentes da já dedicada base de fãs do livro. O ator descreve a atenção como positivamente esmagadora. “É ótimo o tanto de apoio que temos e tivemos desde o início até agora. É muito útil em termos de interação, porque isso é muito novo para mim e bastante impressionante. Eu provavelmente não sou o melhor em manter contato com os fãs, mas o apoio é todo reconhecido e apreciado.”

Apesar de sua popularidade, o ator não tinha ouvido falar do livro antes de sua audição, e ele não o leu depois de ser escalado, sustentando que era melhor ficar com apenas um pedaço do material de origem para não interpretar mal nenhum aspecto do personagem. Ele sustenta que seu interesse no projeto é motivado pelo personagem: “a profundidade e mistério de um personagem que lentamente se desenrola e lentamente dá ao público mais e mais conhecimento [sobre o interior do personagem] é muito atraente para um ator”, diz ele. “É aquela história de amor que nunca fica velha, contada de uma forma moderna e refrescante.”

Brevemente contada, a história é a seguinte: uma boa menina doce e bondosa vai para a faculdade e conhece o bad boy descompromissado com sotaque e um “problema de raiva”.

Fiennes Tiffin aborda a premissa com uma boa dose de realismo romântico.

“Acho que está tentando dizer a verdade geral de que há pessoas que se amam e haverá dificuldades em seu relacionamento, e o amor é um tipo de coisa que vai, de alguma forma, superar todas essas dificuldades”, diz ele. “E pode não ser bonito, mas esperançosamente o final será. Isso é o que eles estão buscando.”

Enquanto um retorno a Hardin Scott pode estar nos planos (há muitos outros livros “After” para explorar, sem mencionar um “Before“), Fiennes Tiffin tem alguns outros projetos flutuando em torno dele que o ator está “muito, muito interessado”, um dos quais, um drama da Guerra Civil.

“Nesta indústria você tem que esperar e ver”, diz ele. “Muitas coisas têm que se mover e isso é apenas a natureza de tudo, então você meio que quer manter a mente aberta e não se amarrar em uma coisa. Mas as coisas que estamos ligados, estou bem animado.”

Particularmente na preparação para “After”, ele está levando as coisas dia a dia.

“As pessoas perguntaram ‘Estou pronto para isso?’ e sempre digo que sinto que estou o mais preparado que posso estar”, diz ele. “Mas não acho que você pode estar pronto para algo que não conhece. Acho que tenho que ser grato, aceitar um dia de cada vez e ver aonde vai.”

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

 

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

Arquivado em Artigos, Destaque, Entrevista, Matérias, Notícias

ELLE GIRL RÚSSIA

Estamos na temporada de entrevistas!! Confira abaixo, traduzida, a entrevista de Hero para a Elle Girl Rússia.

Apesar da agenda ocupada, Hero encontrou um tempo para nós e ele ligou lá da Londres chuvosa antes da Promo Tour, para nos contar sobre seu novo drama de romance e saciar a nostalgia de Harry Potter.

EG: Hero, nós mal podemos esperar pelo lançamento de “After”! Esse foi seu primeiro papel principal. Existiu algum ritual especial para se aproximar do personagem?

Hero: Eu não costumo conduzir nenhum ritual para me aproximar de um personagem, mas me preparar para o papel de Hardin foi muito diferente do normal. No ensaio, eu tinha apenas duas semanas e isso é, na verdade, insanamente pequeno! Em geral, tive a sorte de ter tido a oportunidade de conversar com diretores e trabalhar com um professor de atuação porque não havia tempo. No set, tudo aconteceu tão rápido que mal tivemos tempo de navegar.

EG: Você acha que tem algumas semelhanças entre você e seu personagem Hardin? Ou você é completamente diferente?

Hero: Bem, nós temos algumas características comuns, mas em geral, não somos a mesma pessoa. A única coisa que nos aproxima é a capacidade de pensar demais por muito tempo e, como resultado, ser inteligente demais. Isso não é bom, eu sei, eu sei (risos).

EG: O que Hardin te ensinou?

Hero: A confiar em minha própria intuição, ouvir o que meu coração diz, e não negligenciar algumas coisas puramente instintivas da intuição.

EG: O filme “After” foi classificado como um gênero drama romântico. Com que frequência você assiste algo assim? Você tem, a princípio, gêneros e filmes favoritos?

Hero: Eu não assisto frequentemente dramas românticos, mas às vezes eu posso assistir algo assim. É como com música – não há gêneros ruins, em cada um deles terá algo legal. E quanto ao filme, então eu adoro filmes de terror e policiais. Eu gosto da imprevisibilidade do enredo, situações inesperadas e, claro, movimentos bem escritos. Eu diria que o meu filme favorito é “Memento“, é impossível prever o que realmente está acontecendo. Geralmente, no topo dos verdadeiros clássicos, eu amo “Pulp fiction“, “O resgate do soldado Ryan” e tudo isso.

EG: Que tipo de música você prefere?

Hero: O mais diferente. Eu ouço muito rap, há canções de Lana Del Rey e até mesmo folk irlandês na minha playlist. Eu amo artistas americanos também, mas acima de tudo, provavelmente, rap inglês. Me parece que os representantes da geração mais jovem em geral, distinguem o rap no contexto do resto.

EG: Claro, não podemos nos impedir de perguntar sobre o seu papel do pequeno Tom Riddle em Harry Potter. Você se lembra do que sentiu quando foi ao set pela primeira vez?

Hero: A primeira vez eu estive no set foi apenas como convidado. Eu não podia imaginar que seria parte dessa história. Quando vi Dan (Daniel Radcliffe), não pude imaginar que iria apertar sua mão uma vez e dizer: “Oi Daniel, é um prazer te conhecer, vou fazer o papel de seu inimigo mortal” (risos). Eu sou incrivelmente feliz porque eu pude me tornar uma parte disso.

EG: E se você realmente estudasse em “Hogwarts”, então o que você acha, para qual casa você seria enviado pelo Chapéu Seletor?

Hero: Eu definitivamente iria para a Sonserina porque está no meu sangue (risos). Muitos ainda acreditam que Sonserina é uma casa onde um vilão vai, mas se você mergulhar na história de Hogwarts, isso não é absolutamente verdade.

EG: Nossa revista de abril é dedicada ao tema da saúde mental. Você já encontrou crises de autopercepção ou autodeterminação?

Hero: Eu tive muita sorte, porque eu não tive nada disso. No entanto, meus amigos próximos sofriam de ansiedade, ataques de pânico e você não diria que eles têm algo errado. Por fora, tudo parecia normal, mas por dentro eles simplesmente explodiam por todos esses problemas. Me parece que em tal situação é importante entender que você não está sozinho e que tais coisas acontecem a muitos. Você precisa monitorar constantemente seu estado mental, para que esses problemas não dominem sua vida, não sobreponha todas as coisas boas com ele, e, é claro, é importante ficar atento para que essas coisas não ocorram.

EG: Você é de uma família muito criativa: pais-diretores, tios que são atores. Você sempre quis ser ator? Ou havia outros desejos?

Hero: Quando eu era um garotinho, como qualquer criança em Londres, eu queria jogar futebol em geral, eu gostava de muitas coisas, eu tive passatempos diferentes. Honestamente, o tempo livre muitas vezes faltava bastante, bem, como sempre acontece, com a escola e o dever de casa regular. Mas depois das aulas eu sempre tentei fazer outra coisa, dediquei muito tempo aos esportes. Quanto à atuação, não houve uma coisa que acordei uma manhã e disse a mim mesmo: “Bem, é isso, quero ser ator, ponto final”. Veio gradualmente.

EG: Então você nunca foi muito empenhado em atuar?

Hero: Eu tive aulas de teatro na escola, mas não participei de nenhuma aula extra. Eu estava mais interessado em esportes.

EG: Imagine que as próximas 24h estão absolutamente livres para você e você pode fazer o que quiser. O que você faria?

Hero: Você sabe, minhas próximas 24h estão realmente livres! E adivinhe, eu vou dormir 🙂

EG: Quais são seus planos para o futuro? Talvez algo diferente do que atuar?

Hero: Sim, quero ter tempo para fazer tantas coisas! Por enquanto, vou continuar no jogo, mas veremos.

  • Tradução: Kamila (Equipe Hero Fiennes-Tiffin Brasil)
Arquivado em Artigos, Entrevista, Matérias, Notícias