A revista norte-americana, Deadline, publicou hoje uma matéria anunciando que o ator Hero Fiennes-Tiffin foi adicionado ao cast do filme “The Silencing”, confira traduzida:

A estrela de ‘After’, Hero Fiennes-Tiffin, se junta a Nikolaj Coster-Waldau e Annabelle Wallis em ‘The Silencing’

Exclusivo: O ator britânico Hero Fiennes Tiffin foi adicionado ao cast de ‘The Silencing’, juntando-se a Nikolaj Coster-Waldau e Annabelle Wallis no filme que está sendo dirigido por Robin Pront. A produção está prevista para começar esse mês.

Escrito por Micah Ranum, o enredo segue um caçador reformado (Coster-Waldau) que se envolve em um jogo mortal de gato e rato quando ele e o xerife local, Alice Gustafson (Wallis) partem para rastrear um assassino cruel que pode ter sequestrado sua filha anos atrás. Tiffin vai interpretar o irmão mais novo e perturbado de Alice, Brooks.

Cybill Lui, da Anova Pictures, está produzindo o projeto com a produtora Matt Cod, da Wilding Pictures, e a produtora executiva da XYZ Films. XYZ e Endeavor Content representam vendas nos EUA.

Fiennes Tiffin está prestes a estrear como co-lead no drama YA ‘After’, baseado no romance best-seller de Anna Todd. Ele interpreta o sombrio e misterioso Hardin Scott, que conhece a boa menina Tessa (Josephine Langford) e vira seu mundo reservado de cabeça para baixo. O filme será lançado pela Aviron Pictures em 12 de abril.

Fiennes Tiffin é representado por ICM Partners, The Artists Partnership no Reino Unido e Bloom Hergott Diemer.

Arquivado em Artigos, Notícias, Projetos

A versão italiana da revista Cosmopolitan, publicou uma matéria acompanhada de uma entrevista concedida pelo ator Hero Fiennes-Tiffin, durante a passagem da After Tour pela Itália, confira traduzida:

Hero Fiennes Tiffin: “Atuar também significa arriscar”, e vai te conquistar em “After”.

Filho e neto da arte, 21 anos, Hero Fiennes Tiffin promete ser um personagem que permanece em nossos corações no filme “After”.

“Eu não gosto de rótulos, então eu prefiro me diferenciar dos outros.”

Exatamente dez anos atrás, estreou como o jovem Tom Riddle, no sexto capítulo da saga criada por J.K Rowling, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, hoje, Hero Fiennes-Tiffin, 21 anos, se torna o rosto sombrio, fashion e romântico de ‘After’, a adaptação do livro-revelação, escrito por Anna Todd (nas salas de cinema dia 11 de abril), onde no papel do jovem Hardin Scott, é o protagonista (juntamente com Josephine Langford) de uma história de amor e crescimento. No entanto, o cinema era algo já em seu destino, dada a família de artistas em que nasceu, filho dos diretores Martha Fiennes e George Tiffin, além de sobrinho de dois excelentes tios como Ralph e Joseph Fiennes, ele também tenta fazer sua carreira. Uma carreira em ascenção, tão na moda que já é consagrado entre os modelos mais populares: desfilou para Dolce Gabbana, e aparece no curta-metragem da marca H&M “The secret life of flowers”, dirigido por Baz Luhrmann.

Vamos começar com o filme: o que te atraiu para esse papel?
“Sua profundidade e complexidade, como [Hardin] é sempre seguro do que faz e diz, uma qualidade que eu não tenho, mas ainda há lados do personagem que consigo me relacionar. Por exemplo, ele combina diferentes estilos e gostos, do clássico ao contemporâneo, ele ama os Ramones, mas ele lê O Morro dos Ventos Uivantes, ele é indubitavelmente diferente, misterioso, tímido, há nele uma sensibilidade estratificada muito fascinante.”

Vocês têm algo em comum?
“Em comparação com o romance houve mudanças, isso não irá decepcionar as expectativas dos fãs, mas é claro que somos duas pessoas diferentes, talvez, pensando nisso, pelo fato de proteger minha esfera privada. Se você trabalha como ator, você certamente leva isso em conta, o ideal é eu preferir falar do meu trabalho, atuar também significa arriscar, ainda que de maneira calculada.”

Moda e cinema, como você gerencia os dois?
“Até agora eu acho que tive muita sorte e habilidade, especialmente em fazer certas escolhas. À medida que minhas perspectivas cresciam, eu via as coisas de um jeito diferente, eu tinha uma noção do que eu queria, e eu devo isso à profissão, aos relacionamentos, interesses, leitura. Ultimamente estou lendo Sapiens por Yuval Noah Harari, uma história de grande reflexão sobre o homem. Desconstruir minhas crenças é um passo que sinto que devo fazer se quiser melhorar.”


Então, quais gostos você tem afinal, já que sabemos muito pouco sobre você?
“Muito simples, eles dependem do meu humor, se falamos de filmes ou música. Mas ter uma variedade em seu guarda-roupa é uma questão de curiosidade, se você quer ficar confortável usando um terno ou se você decide ter uma aparência elegante, às vezes você tem que sair da zona de conforto, para ser mais interessante”.

Vamos voltar ao filme por um momento: quão difícil é ser capaz confrontar suas próprias emoções?
“É difícil para todos. Meu personagem se questiona, ele não conhece a si mesmo e acha que não pode se redimir. Ao invés disso ele ganha confiança no amor, ele se torna menos suscetível, e percebe que nunca é tarde para se redimir.”

Você ainda é muito jovem, onde você se vê em projetos futuros?
“Eu gostaria que eles estivessem cheios de paixão, surpreendentes. Ser ator às vezes representa uma descoberta, para a mente e o corpo, você entra em contato com uma linguagem intensa, rica em nuances, e aí você tem que encontrar as palavras certas, sem remorso. Os pensamentos andam de mãos dadas com as nossas ações, não devemos perder oportunidades.”

Como londrino, como você está acompanhando o que está acontecendo na Grã-Bretanha?
“Uma pergunta para um político (risos), mas pessoalmente eu não sou a favor do Brexit, é um retrocesso, como sair de uma grande organização, pela qual você lutou por anos para ficar dentro. Ficar unido não é um clichê, deve ser o futuro, acho eu.”

Arquivado em After, Destaque, Entrevista, Matérias

O NOSSO AMOR SEM FIM — CHI MAGAZINE

A revista italiana ‘CHI’ publicou em sua nova edição, uma matéria sobre ‘After’ acompanhada de uma breve entrevista com os atores, Hero Fiennes-Tiffin e Josephine Langford, confira traduzida:

O primeiro capítulo da saga bestseller de Anna Todd chega ao cinema. Os protagonistas da história de amor mais amada pelos adolescentes são dois “parentes da arte” e dizem a “Chi” as honras e responsabilidades de serem os novos Robert Pattinson e Kristen Stewart.

Atlanta (Estados Unidos). Hero Fiennes-Tiffin, 21, e Josephine Langford, 21 anos, em ‘After’. Em 2009, Hero apareceu em “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, no papel da criança que mais tarde se tornaria Lord Voldemort: curiosamente, Voldemort é o personagem interpretado na saga por seu tio de verdade, o ator Ralph Fiennes.
Cada geração tem sua prória “moda” romântica. Mães que sonharam com “amor infinito” terão visto suas filhas idolatrarem ‘After’ nos últimos quatro anos (que mais tarde se tornou uma saga) – o bestseller de Anna Todd. O amor na faculdade entre a pura Tessa e o bonito e “malvado” Hardin, um negócio de 1,5 bilhão de leitores na web e 1,5 milhões de cópias vendidas apenas na Itália, hoje se torna um filme, com muito menos sexo explícito do que no livro. Comparado por muitos como “Cinquenta Tons de Cinza” adolescente, ‘After’ se torna um fenômeno como ‘Crepúsculo’: os protagonistas, o inglês Hero Fiennes-Tiffin e a australiana Josephine Langford, ele sobrinho de Ralph Fiennes e ela irmã da protagonista da série ’13 Reasons Why’, compartilham com ‘Chi’ as honras e as responsabilidades de fazer parte disso.

“After” é uma coisa sagrada para os adolescentes.

Hero: É uma grande responsabilidade, é verdade, estar à altura de personagens que todos amam. Tornar-me Hardin foi difícil, mas também gostei muito. Eu sei que inicialmente (quando After era apenas um fanfic na web), Anna Todd tinha baseado a aparência do meu personagem no vocalista Harry Styles, mas hoje a história está ligada a uma imagem diferente.
Josephine: Juntar dois mundos diferentes, o de Tessa, tão inocente, e o de Hardin, tão cheio de dificuldades e surpresas, foi um desafio, mas Anna nos acompanhou em tudo e nos ajudou muito na preparação.

Estão prontos para se tornarem “sex symbol”?

Hero: Eu gosto de pensar que será algo mais que sexo, mas sim, pode ser legal.
Josephine: Estou completamente despreparada.

Ela se apaixona, ele tem um segredo, eles se juntam, há um obstáculo, eles se encontram: o que torna ‘After` mais especial do que isso?

Josephine: São os personagens: Tessa e Hardin são realistas em representar um sentimento e acima de tudo, as suas complicações.

O amor é complicado?

Josephine: Todas as meninas sabem disso.

Vocês já o encontraram?

Hero: Ainda não. Mas tenho bons exemplos para me inspirar na minha família.

Filmando ‘Crepusculo’, Robert Pattinson e Kristen Stewart se tornaram duas estrelas e também um casal. Todos se perguntarão se entre vocês…

Josephine: Todo personagem romântico gera expectativas parecidas, então, estou pronta para os rumores. Mas estou solteira.

Na única cena de sexo (muito mais casta que no livro) dão uma grande importância em usar preservativos.

Hero: Há um delicado equilíbrio entre fazer uma história interessante e, ao mesmo tempo, mostrar bons exemplos, pelo menos em certos comportamentos.
Josephine: Anna queria muito enviar uma mensagem sobre sexo seguro, há um tipo de responsabilidade em tudo isso.
Hero: Em relação à cena, a ausência de nudez tirou um pouco a nossa vergonha. Também ter nos tornado amigos e amigos da diretora nos ajudou: eu sempre ia à casa dela para jogar Fortnite com seus filhos, eu também lavava minhas roupas lá…

Tessa deixa o namorado para o difícil Hardin. Boas garotas preferem os bad boys?

Hero: Perguntem a elas.
Josephine: E quem estabelece isso, a fronteira entre o bom menino e o bad boy?

 

As scans dessa matéria, você pode conferir acessando: heroftbrasil.com/galeria

Arquivado em After, Artigos, Destaque, Entrevista, Notícias, Revistas

A Revista WWD, publicou hoje fotos de um ensaio fotográfico, acompanhadas de uma entrevista com Hero, que você pode conferir traduzida a seguir:

O ator britânico chega ao drama romântico “After” como o bad boy Hardin Scott.
Se tudo o que você sabe sobre Hero Fiennes Tiffin são seus ensaios editoriais, ou as cenas de seu personagem nos trailers do filme “After”, você pode se surpreender com a humildade saudável do verdadeiro Fiennes-Tiffin. Apesar de seu papel de estréia como protagonista no cinema – e um dos mais aguardados -, o ator de 21 anos parece estar enraizado em gratidão sem pretensão. Consciente de que a entrevista teve que ser remarcada várias vezes para encaixar uma turnê promocional em todo o mundo que estava apenas começando a aumentar, ele começou e encerrou a conversa com um pedido de desculpas pelo que estava fora do seu controle. “Desculpe por ter demorado tanto” diz ele, talvez pela terceira vez.

Ele pode interpretar o bad boy na tela, mas pessoalmente sua doçura brilha.

Para o ator e modelo britânico, seu caminho para estrelar ao lado de Josephine Langford em “After” foi um longo processo. Seu primeiro papel foi uma participação de um dia para um amigo de seu pai – um diretor de fotografia e diretor-roteirista – quando ele tinha nove ou dez anos; Seu próximo papel foi interpretar o jovem Tom Riddle em “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, mais tarde retratada por seu tio, Ralph Fiennes. Seu outro tio é Joseph Fiennes; sua mãe também trabalha na indústria, como diretora. Fiennes Tiffin estava praticamente destinado às telonas.

“Acho que foi uma coisa gradual”, diz Fiennes Tiffin sobre sua incursão no cinema. “Minha família estando na indústria definitivamente teve um efeito sobre isso no começo, porque eu não teria considerado uma opção se eu não estivesse em uma família que faz isso.” Apesar de seus primeiros papéis, ele não foi imediatamente convencido [a atuar]. “Eu não saí pensando: ‘É isso que eu quero fazer’. Continuei indo para a escola e fazendo coisas normais de crianças que crianças querem fazer. E foi o tempo que passei longe da atuação que eu percebi o quanto eu gostava”, acrescenta. “Meus pais obviamente sempre me apoiaram muito nessa indústria, mas também me deixaram muito ciente de que isso não é garantido e você também deve ter um plano B e outras coisas. O que é, obviamente, completamente verdadeiro, mas felizmente agora estou em uma posição em que está indo bem.”

Indo bem é um eufemismo, embora Fiennes Tiffin permaneça democrático sobre a reação ao filme antes de seu lançamento oficial. O filme é uma adaptação da popular série de romance para adultos recém-publicada por Anna Todd, que começou a escrever a história como uma fan fiction de Harry Styles. (O personagem de Fiennes Tiffin teve seu nome mudado para Hardin Scott, para a publicação). Se tudo correr bem nas bilheterias, existem livros subsequentes da série prontos para serem lançados. O projeto tem semelhança com outro sucesso auto-publicado: “Fifty Shades of Grey”, que foi inegável em sua influência sobre a carreira da estrela Jamie Dornan. Ainda há algumas semanas até a estreia do filme, Fiennes Tiffin ainda não assistiu à edição final.

Estou esperando o momento certo – meu laptop está quebrado”, diz ele. “Eu tenho a capacidade de assisti-lo; Eu vou assistir quando for a hora certa.” Ele não estava com muita pressa, no entanto. “Eu sinto que assistir a si mesmo é sempre um pouco estranho, mas assistir a si mesmo em cenas de sexo provavelmente será um pouco mais estranho. Estou interessado em ver como eu reajo.”

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

“Espere e veja” define grande parte da abordagem de Fiennes Tiffin à sua carreira no momento. Com tanto fandom em torno do projeto, ele parece destinado a se encaixar nas mentes da já dedicada base de fãs do livro. O ator descreve a atenção como positivamente esmagadora. “É ótimo o tanto de apoio que temos e tivemos desde o início até agora. É muito útil em termos de interação, porque isso é muito novo para mim e bastante impressionante. Eu provavelmente não sou o melhor em manter contato com os fãs, mas o apoio é todo reconhecido e apreciado.”

Apesar de sua popularidade, o ator não tinha ouvido falar do livro antes de sua audição, e ele não o leu depois de ser escalado, sustentando que era melhor ficar com apenas um pedaço do material de origem para não interpretar mal nenhum aspecto do personagem. Ele sustenta que seu interesse no projeto é motivado pelo personagem: “a profundidade e mistério de um personagem que lentamente se desenrola e lentamente dá ao público mais e mais conhecimento [sobre o interior do personagem] é muito atraente para um ator”, diz ele. “É aquela história de amor que nunca fica velha, contada de uma forma moderna e refrescante.”

Brevemente contada, a história é a seguinte: uma boa menina doce e bondosa vai para a faculdade e conhece o bad boy descompromissado com sotaque e um “problema de raiva”.

Fiennes Tiffin aborda a premissa com uma boa dose de realismo romântico.

“Acho que está tentando dizer a verdade geral de que há pessoas que se amam e haverá dificuldades em seu relacionamento, e o amor é um tipo de coisa que vai, de alguma forma, superar todas essas dificuldades”, diz ele. “E pode não ser bonito, mas esperançosamente o final será. Isso é o que eles estão buscando.”

Enquanto um retorno a Hardin Scott pode estar nos planos (há muitos outros livros “After” para explorar, sem mencionar um “Before“), Fiennes Tiffin tem alguns outros projetos flutuando em torno dele que o ator está “muito, muito interessado”, um dos quais, um drama da Guerra Civil.

“Nesta indústria você tem que esperar e ver”, diz ele. “Muitas coisas têm que se mover e isso é apenas a natureza de tudo, então você meio que quer manter a mente aberta e não se amarrar em uma coisa. Mas as coisas que estamos ligados, estou bem animado.”

Particularmente na preparação para “After”, ele está levando as coisas dia a dia.

“As pessoas perguntaram ‘Estou pronto para isso?’ e sempre digo que sinto que estou o mais preparado que posso estar”, diz ele. “Mas não acho que você pode estar pronto para algo que não conhece. Acho que tenho que ser grato, aceitar um dia de cada vez e ver aonde vai.”

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

 

Hero Fiennes/por: Jenna Greede

Arquivado em Artigos, Destaque, Entrevista, Matérias, Notícias

Hero concedeu entrevista para a revista “Hero”, que veio acompanhada com um ensaio fotográfico. Confira traduzida abaixo:

Uma década depois da sua estreia nas telonas, interpretando Tom Marvolo Riddle (ou seja, Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado) em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, nesta primavera, Hero Fiennes-Tiffin de 21 anos faz sua transição para o personagem principal masculino, estrelando como Hardin Scott no ferozmente antecipado longa-metragem YA, After.

Nascido na cultura de fandom, o filme começou como uma série de fanfic do Harry Styles, publicada no Wattpad [uma plataforma online de histórias] antes da autora, Anna Todd, assinar um contrato de publicação e trocar o nome de Harry para Hardin. Retratando o bad boy emocionalmente carregado para a caloura ambicioso de Josephine Langford, foi a releitura dessa antiga história de amor que Fiennes Tiffin explica que o conquistou pela primeira vez.

Zoe Whitfield: Qual foi a primeira coisa que te atraiu para esse projeto, After?

Hero Fiennes Tiffin: Inicialmente foi a complexidade do personagem. Obviamente todos os personagens tem camadas, mas o papel que eu interpreto tem camadas mais profundas e escuras que ele realmente suprime, o que é ótimo para um ator. O projeto ia e voltava algumas vezes — Eu lembro que sempre ficava aparecendo — então eu já estava familiarizado com isso, porque eu fiz muitas audições antes de ir pra frente.

Zoe: E vocês filmaram em Atlanta, certo?

Hero: Filmamos. Foi divertido, pelo o que eu pude experienciar de Atlanta, de qualquer maneira, porque passávamos 95% do tempo no set ou em um trailer com ar condicionado, então tivemos muito pouco tempo para explorar. Mas do mínimo de que saímos, eu amei aquilo e quero voltar. Eles têm um aquário enorme, um dos maiores do mundo. Eu amo aquários então foi divertido, mas esse foi mais ou menos o tanto que a gente explorou.

Zoe: Você tem um peixe?

Hero: Não tenho. Eu gosto da ideia de ter um peixe, mas não quero ter um tanque de peixes até eu poder, tipo, incorporar isso na minha casa de um jeito adequado. Entende o que quero dizer? Eu sinto, tipo, tanques de peixe bem ali, parecendo estar um pouco…

Zoe: Fora do lugar?

Hero: Isso. Eu sou tipo vá fundo ou vá embora, então não vou fazer isso até eu poder fazer corretamente.

Zoe: Com After, você estava ciente que era um livro – e uma fanfic do Harry Styles – antes do filme aparecer no seu caminho?

Hero: Não, eu não fazia ideia, e eu quase fiquei suspreso por não fazer ideia disso, vendo os números [vendas] por trás. Foi estranho como isso não passou pelo meu radar.

Zoe: Como você se sente sobre a cultura de fandom na qual After nasceu?

Hero: Se ficar extremamente hardcore, não é o mais saudável. Mas geralmente, em todos os sentidos, é bem legal. Você sabe, quando é controlado.

Zoe: Você sabia que tem uma equipe das Filipinas espalhando a palavra do Hero no twitter?

Hero: O que você quer dizer com equipe das Filipinas?

Zoe: Tem uma conta no twitter das Filipinas com 542 seguidores, o user é @HeroFTPH. Você acha esse tipo de atenção estranha?

Hero: É, é um pouco estranho – requer tempo para se acostumar com isso. Mas eu acho que ainda é uma forma de admiração e respeito pelo o que eu faço, então eu pego os pontos positivos disso e aprecio o que eles estão fazendo.

Zoe: Você recentemente usou seu Instagram para dar apoio à uma marca de moda de um amigo, isso é algo que você está consciente? Dado que você tem cerca de meio milhão de pessoas assistindo?

Hero: Um milhão por cento. Eu acho que todo mundo deveria apoiar seus amigos, especialmente se eles têm uma plataforma para fazer isso. Ser apto para poder fazer isso é incrível.

Zoe: Eu vi em um evento que você foi, que você mencionou algo sobre seus amigos te zoando por seu trabalho como modelo?

Hero: É uma zoeira de amigos. Para ser justo, eu poderia trabalhar em um café e ainda assim ser zoado de algum jeito [risos]. São só algumas brincadeiras, mas eles me dão muito apoio. Esses tipos de piadas mantém você centrado, me mantém em boa forma.

Zoe: E como você achou a responsabilidade de interpretar um principal em After?

Hero: Nós fomos muito bem apoiados pela escritora e diretora, que estavam no set todos os dias. Passamos muito tempo na casa da Jenny [Gage, diretora] realmente nos aprofundando em tudo — e também jogando muito Fortnite com os filhos dela [risos]. Então eu não me senti sozinho de jeito nenhum, mesmo eu estando longe por dois meses, e eu nunca tinha ficado longe por tanto tempo assim. Nós todos nos demos muito bem. Eu posso imaginar que com gravações longas, as pessoas provavelmente voltam para seus quartos de hotéis por conta própria, mas nós fomos sortudos o suficiente por ter um elenco e equipe que fez tudo correr muito bem.

Matéria Original: Hero Magazine | Tradução: Beatriz Frazão (Equipe Josephine Langford Brasil)

Arquivado em After, Destaque, Entrevista, Filmes, Matérias

ELLE GIRL RÚSSIA

Estamos na temporada de entrevistas!! Confira abaixo, traduzida, a entrevista de Hero para a Elle Girl Rússia.

Apesar da agenda ocupada, Hero encontrou um tempo para nós e ele ligou lá da Londres chuvosa antes da Promo Tour, para nos contar sobre seu novo drama de romance e saciar a nostalgia de Harry Potter.

EG: Hero, nós mal podemos esperar pelo lançamento de “After”! Esse foi seu primeiro papel principal. Existiu algum ritual especial para se aproximar do personagem?

Hero: Eu não costumo conduzir nenhum ritual para me aproximar de um personagem, mas me preparar para o papel de Hardin foi muito diferente do normal. No ensaio, eu tinha apenas duas semanas e isso é, na verdade, insanamente pequeno! Em geral, tive a sorte de ter tido a oportunidade de conversar com diretores e trabalhar com um professor de atuação porque não havia tempo. No set, tudo aconteceu tão rápido que mal tivemos tempo de navegar.

EG: Você acha que tem algumas semelhanças entre você e seu personagem Hardin? Ou você é completamente diferente?

Hero: Bem, nós temos algumas características comuns, mas em geral, não somos a mesma pessoa. A única coisa que nos aproxima é a capacidade de pensar demais por muito tempo e, como resultado, ser inteligente demais. Isso não é bom, eu sei, eu sei (risos).

EG: O que Hardin te ensinou?

Hero: A confiar em minha própria intuição, ouvir o que meu coração diz, e não negligenciar algumas coisas puramente instintivas da intuição.

EG: O filme “After” foi classificado como um gênero drama romântico. Com que frequência você assiste algo assim? Você tem, a princípio, gêneros e filmes favoritos?

Hero: Eu não assisto frequentemente dramas românticos, mas às vezes eu posso assistir algo assim. É como com música – não há gêneros ruins, em cada um deles terá algo legal. E quanto ao filme, então eu adoro filmes de terror e policiais. Eu gosto da imprevisibilidade do enredo, situações inesperadas e, claro, movimentos bem escritos. Eu diria que o meu filme favorito é “Memento“, é impossível prever o que realmente está acontecendo. Geralmente, no topo dos verdadeiros clássicos, eu amo “Pulp fiction“, “O resgate do soldado Ryan” e tudo isso.

EG: Que tipo de música você prefere?

Hero: O mais diferente. Eu ouço muito rap, há canções de Lana Del Rey e até mesmo folk irlandês na minha playlist. Eu amo artistas americanos também, mas acima de tudo, provavelmente, rap inglês. Me parece que os representantes da geração mais jovem em geral, distinguem o rap no contexto do resto.

EG: Claro, não podemos nos impedir de perguntar sobre o seu papel do pequeno Tom Riddle em Harry Potter. Você se lembra do que sentiu quando foi ao set pela primeira vez?

Hero: A primeira vez eu estive no set foi apenas como convidado. Eu não podia imaginar que seria parte dessa história. Quando vi Dan (Daniel Radcliffe), não pude imaginar que iria apertar sua mão uma vez e dizer: “Oi Daniel, é um prazer te conhecer, vou fazer o papel de seu inimigo mortal” (risos). Eu sou incrivelmente feliz porque eu pude me tornar uma parte disso.

EG: E se você realmente estudasse em “Hogwarts”, então o que você acha, para qual casa você seria enviado pelo Chapéu Seletor?

Hero: Eu definitivamente iria para a Sonserina porque está no meu sangue (risos). Muitos ainda acreditam que Sonserina é uma casa onde um vilão vai, mas se você mergulhar na história de Hogwarts, isso não é absolutamente verdade.

EG: Nossa revista de abril é dedicada ao tema da saúde mental. Você já encontrou crises de autopercepção ou autodeterminação?

Hero: Eu tive muita sorte, porque eu não tive nada disso. No entanto, meus amigos próximos sofriam de ansiedade, ataques de pânico e você não diria que eles têm algo errado. Por fora, tudo parecia normal, mas por dentro eles simplesmente explodiam por todos esses problemas. Me parece que em tal situação é importante entender que você não está sozinho e que tais coisas acontecem a muitos. Você precisa monitorar constantemente seu estado mental, para que esses problemas não dominem sua vida, não sobreponha todas as coisas boas com ele, e, é claro, é importante ficar atento para que essas coisas não ocorram.

EG: Você é de uma família muito criativa: pais-diretores, tios que são atores. Você sempre quis ser ator? Ou havia outros desejos?

Hero: Quando eu era um garotinho, como qualquer criança em Londres, eu queria jogar futebol em geral, eu gostava de muitas coisas, eu tive passatempos diferentes. Honestamente, o tempo livre muitas vezes faltava bastante, bem, como sempre acontece, com a escola e o dever de casa regular. Mas depois das aulas eu sempre tentei fazer outra coisa, dediquei muito tempo aos esportes. Quanto à atuação, não houve uma coisa que acordei uma manhã e disse a mim mesmo: “Bem, é isso, quero ser ator, ponto final”. Veio gradualmente.

EG: Então você nunca foi muito empenhado em atuar?

Hero: Eu tive aulas de teatro na escola, mas não participei de nenhuma aula extra. Eu estava mais interessado em esportes.

EG: Imagine que as próximas 24h estão absolutamente livres para você e você pode fazer o que quiser. O que você faria?

Hero: Você sabe, minhas próximas 24h estão realmente livres! E adivinhe, eu vou dormir 🙂

EG: Quais são seus planos para o futuro? Talvez algo diferente do que atuar?

Hero: Sim, quero ter tempo para fazer tantas coisas! Por enquanto, vou continuar no jogo, mas veremos.

  • Tradução: Kamila (Equipe Hero Fiennes-Tiffin Brasil)
Arquivado em Artigos, Entrevista, Matérias, Notícias